Turquia reivindica zona de exclusão aérea em Idlib
capa

Turquia reivindica zona de exclusão aérea em Idlib

Bombardeio atribuídos ao governo Assad matou pelo menos 33 militares turcos

Por
AFP

Rússia e Irão prestam apoio militar ao governo Bashar al-Assad


publicidade

A Turquia pediu à comunidade internacional, nesta sexta-feira, que crie uma zona de exclusão aérea no noroeste da Síria para impedir os bombardeios do governo sírio e de seu aliado russo. "A comunidade internacional deve tomar medidas para proteger os civis e criar uma zona de exclusão aérea" na região de Idlib, onde pelo menos 33 militares turcos morreram na quinta-feira, em bombardeios atribuídos ao governo Bashar al-Assad, declarou o diretor de comunicação da Presidência turca, Fahrettin Altun.

"Milhões de civis são bombardeados há meses. Infraestruturas, como escolas e hospitais, estão na mira do regime de forma sistemática", declarou Altun, em um comunicado. "Os apoios de Rússia e Irã (ao governo Assad) perderão toda sua credibilidade, se fracassarem em manter seu compromisso de reduzir a violência e as hostilidades em Idlib", acrescentou.