UE cobra acordo comercial mais ambicioso do Reino Unido
capa

UE cobra acordo comercial mais ambicioso do Reino Unido

Após Brexit, país tenta propor tratado com bloco para manter competição leal

Por
AFP

União Europeia seguirá aplicando regras convencionar até definição

publicidade

A titular da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, convidou o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, nesta terça-feira, a buscar um futuro acordo comercial mais ambicioso, embora tenha advertido que todo pacto tem suas regras. "Me surpreendeu ouvir o primeiro-ministro do Reino Unido falar do modelo australiano. A União Europeia não tem acordos comerciais com a Austrália", comentou Von der Leyen diante da Eurocâmara em Estrasburgo.

A UE negocia, atualmente, um acordo comercial com o país austral. "No momento", contudo, isso acontece "nos termos da Organização Mundial do Comércio (OMC)", explicou a presidente da Comissão. "Se esta for a escolha britânica, estamos bem com isso, sem qualquer dúvida (...) O Reino Unido pode decidir se conformar com menos, mas, pessoalmente, penso que deveriam ser mais ambiciosos", acrescentou.

Após sua retirada do bloco em 31 de janeiro, o Reino Unido se encontra em um período de transição com a UE até o final de 2020. Durante este período, seguirá aplicando as normas europeias, enquanto negocia sua futura relação. Von der Leyen advertiu ainda que os acordos comerciais implicam o respeito das normas e que a UE tentará evitar uma concorrência desleal. "Ainda temos nossas normas, que devem ser respeitadas", frisou.

Também nesta terça o negociador-chefe da UE sobre o Brexit, Michel Barnier, advertiu contra qualquer "ilusão" sobre a praça dos serviços financeiros em uma futura relação entre o Reino Unido e o continente. O assunto deve ser negociado este ano. "Não deve haver ilusão sobre esta questão: não haverá equivalência geral, global, ou permanente, sobre os serviços financeiros", disse ele em Estrasburgo, diante dos eurodeputados.