Uma criança está entre os mortos nos distúrbios sociais no Chile
capa

Uma criança está entre os mortos nos distúrbios sociais no Chile

Piñera anunciou um novo pacote de medidas econômicas como tentativa de conter os violentos protestos

Por
AFP e AE

Protestos já deixaram 18 mortos no país

publicidade

Três pessoas, incluindo um menino de 4 anos, se juntaram à lista de vítimas dos distúrbios sociais no Chile, totalizando 18 mortes até esta quarta-feira, segundo o mais recente balanço do governo. O menino e um homem morreram quando um motorista bêbado atropelou com seu veículo um grupo de manifestantes. A terceira pessoas morreu após ser agredida pela polícia, segundo seus parentes. O balanço foi divulgado pelo subsecretário do Interior, Rodrigo Ubilla.

Nesta terça, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, anunciou um novo pacote de medidas econômicas como tentativa de conter os violentos protestos em cinco dias no país. As novas medidas divulgadas incluem um aumento imediato de 20% do valor mínimo das pensões, de US$ 151 para US$ 181, o que beneficiará 590 mil pessoas, e a criação de uma renda complementar mensal para trabalhadores com salário inferior a 350 mil pesos (cerca de US$ 480). Além disso, será revogado um acréscimo recente de 9,2% na conta de luz e uma elevação de impostos sobre salários superiores a US$ 11 mil mensais.

O presidente também anunciou reduções salariais de parlamentares e restrições à reeleição. As medidas foram anunciadas após reunião com três dos seis líderes políticos da oposição, e algumas ainda dependem de aprovação dos congressistas.