Uruguai é o primeiro país da América Latina a vacinar adolescentes contra Covid-19

Uruguai é o primeiro país da América Latina a vacinar adolescentes contra Covid-19

Autoridades prentendem adiantar o retorno ás aulas no ensimo médio até o final de julho

AFP

Uruguai, o primeiro país da América Latina a vacinar menores contra covid-19

publicidade

O Uruguai começou a vacinar adolescentes entre 12 e 17 anos com doses da Pfizer nesta quarta-feira. É o primeiro país latino-americano a imunizar menores contra a Covid-19. Com a decisão, as autoridades esperam retomar as aulas presenciais no ensino médio.

Mais de 150.000 adolescentes eram esperados para serem vacinados até segunda-feira, em uma população total de 290.000 incluídos nessa faixa etária. As autoridades querem adiantar o retorno às salas de aula do ensino médio até o final de julho, quando o grupo atingir a imunidade total. As escolas primárias serão reabertas em junho.

O presidente Luis Lacalle Pou havia anunciado essa decisão na terça-feira da semana passada em uma entrevista à televisão. "Hoje a Comissão de Vacinas autorizou a vacinação dos 12 aos 18 anos, com a qual já no final desta semana estaremos ligando para que sejam agendadas" nessa faixa etária, disse o presidente ao Canal 10 local.

O Chile também autorizou a vacinação de adolescentes entre 12 e 16 anos com a Pfizer, mas a campanha começará a partir de 20 de junho, segundo o ministro da Saúde.

O Uruguai, com 3,5 milhões de habitantes, é atualmente a nação com o maior número de mortes no mundo nos últimos 14 dias, em relação à sua população, segundo balanço da AFP feito com dados oficiais. Apesar das reivindicações da comunidade científica e opositores, Lacalle Pou descartou a paralisação do país decretando medidas de confinamento. O governo aposta em uma intensa campanha de vacinação que, desde seu início em 1º de março.

O país já imunizou 58% da população com pelo menos uma dose da Sinovac, Pfizer ou Astrazeneca e 30% da população ja foram totalmente vacinadas.

Veja Também


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895