Ácido sulfúrico pode causar danos irreversíveis à pele, adverte professor de química

Ácido sulfúrico pode causar danos irreversíveis à pele, adverte professor de química

Substância foi encontrada em roupas usadas por vítimas de ataques, na zona Sul de Porto Alegre

Tiago Medina

Cinco ataques com ácido foram registrados em Porto Alegre

publicidade

Substância detectada pelo Instituto-Geral de Perícia após análise das roupas utilizadas por vítimas dos ataques da semana passada, o ácido sulfúrico causa danos que podem ser irreversíveis na pele humana. Cinco pessoas foram vítimas de ataques, na zona Sul de Porto Alegre. 

“É um ácido de alta densidade e com um ponto de ebulição muito alto. Então, ele se torna bastante corrosivo”, explicou o professor de química na Ufrgs Aloir Antônio Merlo. “É um reagente inorgânico que absorve muito a água.”

O contato do ácido com a pele humana decompõe materiais orgânicos presentes, o que acaba por escurecer a pele. “Primeiro há uma queima, numa reação exotérmica, e, em seguida, potencializa reações em cadeia. O efeito é devastador para a pele”, comentou Merlo.

Em caso de contato, o professor recomenda lavar o local atingido imediatamente com muita água para amenizar o efeito. No entanto, dependendo da quantidade, as consequências podem ser graves, de acordo com o professor. “O material que decompõe não tem como regenerar de modo natural. Será preciso consultar um médico.”

A Polícia Civil investiga os casos de ataque. Diretor da Delegacia de Polícia Regional de Porto Alegre (DPRPA), o delegado Fernando Soares reiterou que qualquer informação sobre o suspeito dos ataques seja repassada, com garantia de anonimato, ao telefone 197 da Polícia Civil e ao (51) 3242-1108 do plantão da 13ª DP, ambos atendendo nas 24 horas. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895