“É o dia mais triste da história do nosso município”, diz prefeito de Saudades, em Santa Catarina

“É o dia mais triste da história do nosso município”, diz prefeito de Saudades, em Santa Catarina

Governadora interina do estado decretou luto oficial de três dias

Correio do Povo

Velório das vítimas da chacina ocorreu nesta quarta-feira, em Saudades

publicidade

O prefeito de Saudades, município de Santa Catarina, Maciel Schneider, lamentou a chacina que ocorreu na creche Escola Infantil Pró-Infância Aquarela, nessa terça-feira, e resultou na morte de cinco pessoas. “Hoje é o dia mais triste da história do nosso município”, desabafou.

"Sempre fomos uma cidade extremamente pacífica, nos assusta o fato que ocorreu aqui. Somos uma cidade acolhedora, nosso lema é o vale da hospitalidade. Jamais sonhávamos que isso poderia acontecer”, lamentou. Ele decretou luto oficial de três dias. O prefeito de Pinhalzinho, Mário Afonso Woitexen, decretou igualmente luto de três dias em decorrência do ataque na cidade vizinha.

A governadora interina de Santa Catarina, Daniela Reinehr, também decretou luto oficial de três dias em todo o estado."Nos causa muita dor saber que familiares perderam pessoas queridas”, declarou. “As pessoas não estão preparadas para isso, nunca imaginam que possa acontecer. Vivemos em um ambiente de certa inocência”, acrescentou.

Apoio psicológico à comunidade

A governadora esteve ainda ontem na cidade de Saudades para prestar sua solidariedade às famílias e seu pesar pela tragédia. Ela determinou que seja prestado apoio psicológico à comunidade local e uma investigação completa para elucidar as causas do crime.

“Não há o que traga de volta essas vítimas nem o que compense essa dor. O momento é de trazer nosso apoio e nossa solidariedade. Nosso zelo é muito maior quando falamos de crianças, que não têm condições de se defender. Hoje nós tivemos aqui também duas heroínas. O que desejamos nessa hora é força e resiliência”, enfatizou.

“Todas as forças de segurança  irão prestar todo o apoio necessário, não só para o município e as famílias de Saudades, mas sim como também para buscarmos a razão e tentarmos chegar ao final e elucidação deste crime para que possamos prevenir outros”, assegurou o delegado Paulo Norberto Koerich, da Polícia Civil de Santa Catarina, em entrevista coletiva nessa terça. “Agora quem o fez responderá na forma da lei e nós agiremos dentro do que a legislação o preceitua”, garantiu.

Despedidas

Milhares de pessoas compareceram nesta manhã ao velório e enterro das cinco vítimas do ataque. As despedidas fúnebres ocorreram sob forte emoção, dor e tristeza. O velório coletivo aconteceu no ginásio no Parque de Exposições Theobaldo Hermes. As vítimas foram a professora Keli Adriane Aniecevski, 30 anos; a agente educadora Mirla Amanda Renner Costa, 20 anos; além dos bebês Sarah Luiza Mahle Sehn, de um ano e sete meses; Anna Bela Fernandes de Barros, de um ano e oito meses; e Murilo Massing, de um ano e nove meses. 

“Não tem palavras que confortem. Chegar em casa e ver as coisas dela, não sei como vai ser daqui para frente. Ela era tudo para nós, muito esperta, inteligente, linda”, declarou emocionado Evandro Sehn, pai de Sarah, ao jornal Notícias do Dia. Ele contou que viu o corpo da filha dentro da escola. “Corri atrás dela. Fui no hospital e voltei. Entrei na escola e infelizmente vi o cabelinho dela com a ‘xuxinha’ que foi feito de manhã. Caiu meu mundo”, recordou abalado.

As duas docentes foram consideradas heroínas por terem impedido uma tragédia maior. Todas as vítimas foram golpeadas por Fabiano Kipper Mai, 18 anos. Ele estava com duas espadas, sendo que uma delas é popularmente conhecida como espada ninja. O jovem tentou depois se matar e ficou ferido, sendo hospitalizado em Chapecó.

Uma quarta criança, um menino de um ano e oito meses, sobreviveu e foi internada na UTI do Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, após ser transportada por via aérea por uma equipe do helicóptero do Serviço Aeropolicial de Fronteira da Polícia Civil.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895