Ação mira quadrilha de roubo de veículos por encomenda em Porto Alegre e região Metropolitana

Ação mira quadrilha de roubo de veículos por encomenda em Porto Alegre e região Metropolitana

Investigação do Deic apurou que os carros das vítimas eram depois clonados ou desmanchados

Correio do Povo

Houve o cumprimento de 20 ordens judiciais em Alvorada, Esteio, Viamão e Porto Alegre

publicidade

Uma organização criminosa especializada na encomenda de roubos de veículos, receptação e adulteração de sinal identificador foi alvo na manhã desta segunda-feira da operação Sumaré, deflagrada pela Polícia Civil. Houve o cumprimento de 20 ordens judiciais, entre mandado de prisões temporárias e de busca e apreensão, em Alvorada, Esteio, Viamão e Porto Alegre.

Cinco criminosos foram detidos, sendo que um já estava no sistema prisional. Uma pistola calibre 765, munições variadas, quantias em dinheiro, quatro telefones celulares e um radiocomunicador, além de um Honda Civic, foram recolhidos. A ação desencadeada teve apoio da Brigada Militar.

O trabalho investigativo é conduzido pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Roubo de Veículos (DRV), do Departamento Estadual de Investigações Criminais, sob comando dos delegados Rafael Liedtke e Marco Guns. 

O principal criminoso investigado, de 47 anos, possui extensa ficha de antecedentes, como receptação, associação criminosa, adulteração de sinais identificadores, roubo majorado de veículo, estelionato, lesão corporal, ameaça, dano, resistência e desobediência.

De acordo com os delegados Rafael Liedtke e Marco Guns, as investigações já duram sete meses e começaram com a prisão de um indivíduo em uma oficina mecânica no bairro Sumaré, em Alvorada, com peças de um Chevrolet Prisma. O veículo havia sido roubado no bairro Sarandi, na Capital, no dia 5 de novembro do ano passado.

Os agentes da DRV descobriram que a quadrilha atuava em Porto Alegre e na Região Metropolitana. O trabalho policial demonstrou a existência de um esquema criminoso que começava com os roubos de veículos sob encomenda, visando a clonagem para comercialização para terceiros ou o desmanche com venda das peças e equipamentos em mercados clandestinos. Os lucros auferidos eram divididos por todos integrantes do grupo criminoso, conforme a tarefa realizada por cada um.

As ordens judiciais foram deferidas pela 1° Vara Criminal do Foro da Comarca de Alvorada. Os presos foram levados até a sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais, em Porto Alegre, onde respondem a inquérito policial instaurado na DRV.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895