Acusado de abuso sexual, terapeuta holístico é preso pela segunda vez em Canoas

Acusado de abuso sexual, terapeuta holístico é preso pela segunda vez em Canoas

O profissional é suspeito de abusar sexualmente de pacientes durante sessões 


Taís Teixeira

publicidade

Policiais civis da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Canoas (DEAM) executaram a prisão preventiva de um terapeuta holístico, de 35 anos, por acusação violação sexual mediante fraude no sábado. Segundo as denúncias, o homem abusava sexualmente das pacientes com a justificativa de que o contato sexual era parte do tratamento.

O terapeuta já tinha sido preso no dia 29 de junho. Ele foi denunciado em 5 de agosto, mas foi posto em liberdade em outubro e usava tornozeleira. A gravidade do fato motivou novo pedido de prisão. A ação foi coordenada pela delegada Clarissa Demartini.

A investigação de provável crime sexual cometido contra duas pacientes na cidade de Canoas começou em maio deste ano. As vítimas procuraram a Delegacia relatando que faziam terapia holística com o profissional. Segundo os depoimentos, durante as sessões, ele mantinha contato sexual como parte do tratamento.

Dez mulheres foram identificadas como vítimas e foi decretada a prisão preventiva do investigado. Além da violência sexual, teria ocorrido perda de valores financeiros, sendo que uma das vítimas chegou a pagar R$ 25 mil ao acusado. O inquérito foi concluído apontando a responsabilização do autor pela prática do crime de violação sexual mediante fraude.

A delegada Clarissa Demartini afirma que foi uma investigação bastante complexa. “Chegamos a esse resultado por meio de escuta qualificada e empatia com as vítimas que procuraram a Delegacia”, explicou. A delegada completou dizendo que  a violência que elas sofreram durou muito tempo, o que as deixou fragilizadas e, muitas vezes, com sentimento de responsabilidade pelo fato ocorrido.


Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895