Acusado de matar médica em Santa Catarina é preso pela Polícia Civil em Arroio dos Ratos

Acusado de matar médica em Santa Catarina é preso pela Polícia Civil em Arroio dos Ratos

Vítima foi estrangulada em março de 2020 no apartamento de veraneio do casal na praia de Itapema

Correio do Povo

Foragido já tinha arranjado uma nova companheira na cidade gaúcha

publicidade

A Polícia Civil anunciou a prisão na manhã desta quarta-feira do acusado de assassinar uma médica há mais de um ano em Santa Catarina. O suspeito de feminicídio, um representante comercial de 65 anos, foi detido quando pela equipe do titular da DP de Charqueadas, delegado Marco Schalmes, quando almoçaria com a nova companheira na porta da residência em Arroio dos Ratos.

Em entrevista à reportagem do Correio do Povo, o delegado Marco Schalmes explicou que a captura do foragido ocorreu após troca de informações com os policiais civis catarinenses da praia de Itapema, no Litoral Norte de SC, onde ocorreu o crime em março do ano passado. “Eles estavam trabalhando na prisão e localização deste indivíduo desde setembro do ano passado, quando foi expedida a ordem judicial”, recordou o titular da DP de Charqueadas.

“Sabendo desta ordem judicial, o acusado começou a se esconder inclusive em casas de familiares. A polícia catarinense descobriu então que esse indivíduo estava escondido na nossa região Carbonífera”, relatou o delegado Marco Schalmes. “Realizamos diligências e levantamento de local”, acrescentou.

A captura do acusado ocorreu durante do cumprimento de um mandado de prisão. A atual companheira do foragido, uma moradora de Arroio dos Ratos, demonstrou “surpresa e começou a chorar” diante da equipe do delegado. “Estamos à disposição dos colegas catarinenses caso queiram buscá-lo aqui na delegacia ou vamos encaminhar ao sistema prisional”, observou o delegado Marco Schalmes.

FEMINICÍDIO

No dia 20 de março de 2020, a pediatra Lúcia Regina Gomes Mattos Schultz, de 59 anos, foi estrangulada e morta pelo acusado no apartamento de veraneio do casal em Itapema, logo nos primeiros dias de distanciamento social devido ao início da pandemia do novo coronavírus. O casal se conheceu em 2013, em um site de relacionamentos. Ele morava em Gaspar e ela em Florianópolis.

O acusado já havia sido preso logo depois do crime e confessou a autoria, mas foi libertado no dia 3 de junho. O Tribunal de Justiça de Santa Catarina restabeleceu a prisão preventiva e o mandado de prisão foi expedido em 24 de setembro de 2020.

A médica Lúcia Regina Gomes Mattos Schultz nasceu no Rio de Janeiro. Ela se formou em medicina na Universidade Federal do RJ em 1984 e escolheu Florianópolis para fazer a residência médica. Especializou-se em pediatria. Ela teve dois filhos no primeiro casamento.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895