Agressores de transexual podem ser indiciados por tentativa de homicídio

Agressores de transexual podem ser indiciados por tentativa de homicídio

Médica foi ferida a socos e pontapés em acidente de trânsito no domingo, em Porto Alegre

Rádio Guaíba

publicidade

A médica transexual agredida por três homens na madrugada de domingo, em Porto Alegre, prestou depoimento, na tarde desta segunda-feira, à titular da 2ª Delegacia de Polícia, Adriana Regina da Costa. A delegada confirmou que a placa do veículo em que estavam os agressores e o proprietário do carro já foram identificados. As investigações ainda são preliminares, mas os suspeitos poderão ser indiciados por lesão ou tentativa de homicídio.

A pediatra Fernanda Campos é moradora de Encruzilhada do Sul e estava na Capital durante o fim de semana. Segundo depoimento à 2ª DP, houve uma colisão sem danos materiais entre o carro dela e o dos agressores, na zona Sul. Fernanda contou que o trio ficou irritado e começou uma perseguição. Ela colidiu o carro contra uma placa na esquina da avenida Azenha com a rua Botafogo.

Os agressores teriam, então, obrigado Fernanda a sair do veículo e a agredido socos e pontapés. “Eu caí no chão e eles me chutavam. Diziam palavras de baixo calão e homofóbicas, me chamavam de desgraçado e diziam que iam me matar”, descreveu. Segundo ela, as agressões só cessaram quando um táxi parou no local.

Fernanda recebeu apoio hoje das comissões de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e da Câmara de Vereadores de Porto Alegre. Até agora, ela foi a única pessoa a prestar depoimento. A polícia procura testemunhas do crime e imagens de câmeras de segurança que possam servir para esclarecer o caso.

Bookmark and Share

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895