Apreensão de peixe no Mercado Público chega a 3,5 toneladas
capa

Apreensão de peixe no Mercado Público chega a 3,5 toneladas

Duas pessoas foram detidas em flagrante

Por
Correio do Povo

Operação apreendeu 3,5 toneladas de pescado

publicidade

Cerca de 3,5 toneladas de peixe foram apreendidas na operação da Polícia Civil deflagrada ao amanhecer desta quarta no Mercado Público de Porto Alegre. Duas pessoas foram detidas em flagrante. A ação realizada entre 5h e 9h coincidiu com a realização da 1ª edição da Semana do Pescado do Mercado, que prossegue até o próximo sábado, dia 14. Estacionados no lado externo, na avenida Borges de Medeiros, dois caminhões baús refrigerados foram alvos dos agentes da Delegacia de Polícia de Proteção ao Consumidor, Saúde Pública e da Propriedade Intelectual, Imaterial, Industrial e Afins (Decon) do Departamento Estadual de Investigações Criminais, junto com equipes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Secretaria Municipal da Saúde. A carga de um dos veículos estava em situação regular e foi liberada.

Já no outro caminhão, vindo de Rio Grande, foi constatado o problema em parte do carregamento. “Os peixes estavam sem a devida rotulagem, sem certificado de inspeção sanitária, sem nota fiscal. Não possuindo procedência, portanto, torna-se impróprio para o consumo”, observou o delegado Joel Wagner, titular da Decon. “Ele constatou as irregularidades, por exemplo, em 300 quilos de tainha e 200 quilos de cação anequim, enquanto os 3 mil quilos restantes são de peixes de espécies variadas. “A fiscalização foi de rotina”, frisou, confirmando a abertura de inquérito. “O interesse é coibir que produtos sem procedência cheguem às lojas do Mercado Público”, ressaltou.

De acordo com o titular da Decon, as prisões efetuadas, com penas de dois a cinco anos em caso de condenação, foram do motorista do caminhão e do representante da empresa que receberia o pescado para posterior distribuição às peixarias dentro do Mercado Público. “Os dois foram autuados”, enfatizou. A outra parte da mercadoria do veículo, em situação legal, não foi recolhida, sendo destinada às bancas normalmente. O delegado Joel Wagner lembrou ainda que as 3,5 toneladas de peixes apreendidos foram encaminhados à alimentação dos animais no Parque Zoológico de Sapucaia do Sul. “A bicharada vai aproveitar”, previu.

Em nota, a Associação do Comércio do Mercado Público Central (Ascomepc) informou que "todo o pescado comercializado no Mercado Público tem procedência comprovada por meio de nota fiscal. Com relação ao ocorrido na manhã desta quarta-feira (11), na parte externa do prédio, informa que foi feita uma denúncia anônima referente ao caminhão que transportava entre o produto resfriado com destino ao Mercado, caixas contendo peixe congelado, que acabaram sendo apreendidas".

Segundo a Ascomepc, "o problema ocorreu com o transportador, uma vez que nenhuma caixa para o Mercado Público era de peixe congelado, tanto que a fiscalização liberou o produto para os comerciantes".