Assaltantes de banco entram em confronto com PM em Canoas

Assaltantes de banco entram em confronto com PM em Canoas

Quadrilha roubava uma agência bancária e fugiu após tiroteio no bairro Niterói

Por
Correio do Povo

A viatura Renault Sandero prefixo 8806 ficou com o para-brisa perfurado pelos disparos do policial militar


publicidade

Uma quadrilha de assaltantes de bancos fortemente armada confrontou-se no início da manhã desta quinta-feira com um policial militar do 15º BPM em Canoas. Uma operação de buscas do 15º BPM foi realizada na região e um alerta foi dado para os batalhões das cidades vizinhas. O Batalhão de Aviação da BM enviou um helicóptero para o município. A Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Civil também foram mobilizadas.

O incidente ocorreu nas proximidades de uma agência do Santander, na avenida Getúlio Vargas, esquina com a rua Almirante Barroso, ao lado da BR 116, no bairro Niterói. Um popular havia alertado a BM sobre o roubo em andamento. Os criminosos estavam rendendo os funcionários que chegavam para o trabalho no banco, sendo imobilizados dois vigilantes, um gerente e dois outros dois bancários. Uma parte dos assaltantes estava dentro do banco e os demais no lado externo.

No momento em que a viatura Renault Sandero prefixo 8806 do 15º BPM aproximou-se do local, os bandidos efetuaram tiros de fuzil. O policial militar que dirigia a viatura revidou e os disparos dele na direção dos criminosos perfuraram o para-brisa da viatura. O brigadiano deu ré no veículo que chocou-se contra um Chevrolet Celta que encontrava-se estacionado. Um Honda Civic que passava pelo local também foi atingido pelos disparos. Ninguém ficou ferido.

Os ladrões fugiram então em um Chevrolet Cobalt que havia sido deixado no local. Um segundo veículo não identificado estaria também junto. Já os criminosos que estavam no interior da agência bancária conseguiram sair do local atirando e quebrando o vidro da porta principal. Eles correram a pé até a área central da cidade onde roubaram um Toyota Etios e um Volkswagen Gol, ambos depois localizados abandonados. O Cobalt foi encontrado nesta tarde na BR 116, com marcas de tiros do confronto. O roubo a agência bancária, que permaneceu isolada para o trabalho do Instituto-Geral de Perícias, não foi consumado.

O comandante do 15º BPM, tenente coronel Jorge Dirceu Filho, destacou que o fato do policial militar enfrentar os criminosos armados de fuzis enquanto dava ré com a viatura. “Ele agiu dentro da técnica de dentro da viatura”, frisou. “Vamos seguir nas buscas”, assegurou. “Os criminosos tinham conhecimento da rotina do banco, mas não conseguiram concretizar o roubo graças à ação do policial militar que estava deslocando. Ele estava no local e na hora certa para evitar o delito”, enfatizou. ‘O mais importante é que ele e nem um civil ficaram feridos”, concluiu tenente coronel Jorge Dirceu Filho.

O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil, de Porto Alegre, já apura o ataque. Titular da 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos, o delegado João Paulo de Abreu calculou que a quadrilha pode ser formada por entre cinco e sete criminosos. Ele lembrou que o assalto em andamento foi abortado quando os bandidos que estavam dentro da agência bancária escutaram os tiros vindos do lado externo.


“Não subtraíram qualquer tipo de valor exceto as amas de fogo e munições de uso da vigilância”, observou. “Foi um fato extremamente grave”, afirmou. O trabalho investigativo incluirá depoimentos de vítimas e testemunhas, análise de imagens de câmeras de monitoramento e laudos periciais, entre outras diligências. O delegado João Paulo de Abreu pretende ainda comparar o ataque com casos semelhantes ocorridos desde o último ano na Região Metropolitana de Porto Alegre. “A investigação objetiva identificar os autores e confrontar com as informações que já existem”, resumiu.