Braço da facção Os Manos na fronteira é alvo de operação do Ministério Público

Braço da facção Os Manos na fronteira é alvo de operação do Ministério Público

Organização criminosa fornecia armas e munições para a Região Metropolitana de Porto Alegre e Vale do Rio dos Sinos.

Correio do Povo

Ação teve apoio do efetivo da Brigada Militar no cumprimento das ordens judiciais

publicidade

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) deflagrou ao amanhecer desta quinta-feira uma operação que teve como alvo o braço da facção Os Manos na fronteira do Rio Grande do Sul. A investigação apontou a atuação de uma célula da organização criminosa atuava na cidade de Uruguaiana, sendo responsável pelo fornecimento de armas e munições para a Região Metropolitana de Porto Alegre e Região do Vale do Rio dos Sinos. Tráfico de drogas, receptação de veículos e lavagem de dinheiro também vinham sendo cometidos..

Na ação, que teve apoio da Brigada Militar (BM) e Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), foram cumpridos três mandados de prisão preventiva e outros 14 mandados de busca e apreensão em residências dos suspeitos nas cidades de Canoas e Uruguaiana. As ordens judiciais foram também executadas nas celas de estabelecimentos prisionais em Charqueadas e Uruguaiana. A ação resultou em três presos e recolhimento de celulares prontos para serem arremessados para detentos, armas, munições e drogas, inclusive apreendidas durante o trabalho investigativo.

As primeiras pistas sobre o tráfico de armas e munições ocorreu a partir de informações obtidas em revistas feitas na Cadeia Pública de Porto Alegre (antigo Presídio Central). O trabalho de apuração foi iniciado no segundo semestre do ano passado e conduzido pela Promotoria de Justiça Especializada Criminal de Porto Alegre.

O promotor de Justiça, Ricardo Herbstrith, destacou que a ação deflagrada foi de extrema importância no combate ao crime organizado. “Temos a certeza que, a partir desta operação, conseguimos desmantelar uma importante ramificação da facção, no sentido de limitar e diminuir sua atuação, propiciando mais segurança à população gaúcha”, avaliou. Ele ressaltou também a integração com a BM e Susepe no cumprimento das ordens judiciais, além da Polícia Civil no auxílio das investigações e ainda da Polícia Federal que colaborou na localização e levantamento de alguns alvos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895