Brigada Militar reforça segurança no Hospital Cristo Redentor após tiroteio

Brigada Militar reforça segurança no Hospital Cristo Redentor após tiroteio

Incidente ocorreu na frente da instituição na noite dessa sexta-feira

Correio do Povo e Rádio Guaíba

Hospital Cristo Redentor amanheceu com policiamento reforçado

publicidade

O Hospital Cristo Redentor amanheceu este sábado com o policiamento reforçado da Brigada Militar (BM). Em entrevista à Rádio Guaíba na manhã de hoje, o diretor do Hospital Cristo Redentor, Luiz Carlos Pinto, detalhou que, além dos policiais militares na frente da emergência da instituição, a Polícia Civil também está presente nos andares onde estão os criminosos feridos no tiroteio que ocorreu na noite dessa sexta-feira no local. 

Um ataque ocorreu entre um grupo criminoso contra integrantes de facção rival em frente ao Hospital Cristo Redentor. De acordo com a polícia, os criminosos chegaram em um Ford Fiesta cinza e procuravam um grupo adversário que buscava atendimento na instituição. Os disparos ocorreram na área externa dos hospital.

De acordo com Luiz Carlos Pinto, no momento da ocorrência, cerca de 40 pessoas estavam em frente ao hospital. Ninguém ficou ferido. Os únicos danos foram duas portas de vidro eletrônicas quebradas. "Hoje estamos providenciando uma empresa para recolocação da porta de vidro que foi quebrada. Verificamos que não têm marcas de tiro no hospital. Os danos foram causados pelo tumulto, quando pessoas entraram correndo", disse. 

 

Os criminosos feridos estão sob cuidados médicos e um deles, que chegou em estado grave, foi encaminhado ao bloco cirúrgico, informou o gestor do Cristo Redentor. "A situação está tranquila. O quadro de uma das pessoas atingidas é boa, embora ainda corra riscos. O resto segue bem também", completou.  

Segundo a Brigada Militar, uma mulher foi atingida no braço após os ataques. Ela negou que estivesse com os feridos no momento do incidente. A paciente foi medicada e liberada neste sábado. 

Com informações do repórter Gabriel Guedes

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895