Caçada a Lázaro Barbosa entra na terceira semana em Goiás

Caçada a Lázaro Barbosa entra na terceira semana em Goiás

Homem é acusado de homicídio na Bahia, além de roubos e estupros no Distrito Federal

R7

Caçada a Lázaro Barbosa entra na terceira semana em Goiás

publicidade

As buscas da polícia por Lázaro Barbosa de Sousa, o serial killer do Distrito Federal, entram na terceira semana nesta segunda-feira. Além da chacina envolvendo uma família, Lázaro, de 32 anos, é acusado de um homicídio no estado da Bahia, roubos e estupros no Distrito Federal e também por diversos crimes em Goiás.

Um deles foi em abril do ano passado, quando invadiu uma casa e agrediu um idoso. Desde então, moradores da pequena Cocalzinho e de cidades próximas vivem com medo. Nesta segunda-feira (21), a polícia entra no 13º dia de buscas pelo criminoso.  

Veja Também

Quarta-feira, dia 9 de junho

A caçada a Lázaro Barbosa de Sousa começa quando ele é apontando como suspeito de ter invadido uma chácara, no Incra Nove, às margens da BR-070 no Distrito Federal. Durante a madrugada, Lázaro mata Cláudio Vidal de 48 anos e os dois filhos, Gustavo Marques, de 21, e Carlos Eduardo, de 15. Além disso, sequestra a mulher de Cláudio. Cleonice Marques Vidal, de 43 anos. Ela ainda consegue mandar uma mensagem pedindo socorro para parentes. Quando chegam ao endereço, encontram Cláudio e os dois filhos do casal sem vida. Cleonice está desaparecida.

Quinta-feira, 10 de junho

No dia seguinte ao tripo homicídio e ao desaparecimento de Cleonice, Lázaro faz mais uma refém. Ele invade outra chácara, ainda na região do Incra Nove, e obriga a vítima cozinhar para ele. O dono da chácara relata que o criminoso queria dinheiro e armas.

Sexta-feira, 11 de junho 

Depois de roubar um carro, foge para Cocalzinho, cidade localizada a 80 km da casa onde matou a família. Na estrada, troca tiros com uma equipe policial, ateia fogo no carro e foge.

Sábado, 12 de junho

O corpo de Cleonice é encontrado no Córrego da Coruja, a 8 km da chácara onde a família morava. À noite, Lázaro invade uma fazenda de um policial militar do DF e faz um caseiro refém. Lázaro vai para outra propriedade, atira contra polícias, rouba armas e deixa 3 feridos.

Domingo, 13 de junho

Lázaro ataca novamente, rouba mais um carro, dirige por cerca de 30 km e encontra uma barreira policial, mas consegue desaparecer.

Segunda-feira, 14 de junho

Os corpos do casal e dos filhos assassinados são enterrados, em Taguatinga (DF). As buscas continuam. Nesse mesmo dia, Lázaro invade outra chácara, troca tiros com um caseiro e foge.

Terça-feira, 15 de junho

Lázaro sequestra uma família em outra chácara da região. As vítimas são resgatadas, mas um policial fica ferido com um tiro de raspão no rosto.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895