Cadáver é encontrado boiando nas águas do Guaíba, em Porto Alegre
capa

Cadáver é encontrado boiando nas águas do Guaíba, em Porto Alegre

Corpo foi visto pela tripulação de uma embarcação próxima à Ilha do Pavão

Por
Gabriel Guedes

Instituto Geral de Perícias foi buscar na sede do Grupo de Busca e Salvamentos (GBS), no Cais do Porto, o cadáver que foi encontrado boiando no Guaíba


publicidade

O corpo de um homem foi encontrado boiando nas águas do Guaíba na manhã deste domingo. De acordo com a Polícia Civil, o cadáver pode ser de Richard Adriano, acusado de matar a facadas a ex-companheira, Jennifer Kubiaki Graboski, de 25 anos. O Grupo de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros foi acionado pela tripulação de uma embarcação pouco depois das 7h30, quando avistaram o cadáver boiando no canal de navegação, próximo às boias de navegação, próxima a Ilha do Pavão.

Conforme o sargento Maurício Freitas, do GBS, “o cadáver estava em bom estado de conservação, o que indica que não foi há muito tempo que estava na água”, relatou. Após o resgate, a Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias foi chamado para recolher o corpo. “Pela tatuagem que constava no corpo, é provável que seja o corpo do suspeito. Mas somente a perícia vai confirmar a identidade”, explica o plantonista da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Leandro Bodoia. Segundo o policial, a investigação vai ser realizada pela 2ª DHPP, que é responsável pela apuração de crimes na região das ilhas.


O assassinato de Jennifer aconteceu na última terça-feira, dia 23, por volta das 13 horas, em um posto de combustíveis localizado na Avenida Castelo Branco, no bairro Laranjeiras, em Guaíba. O caso é tratado como feminicídio. O ex-companheiro teria entrado dentro do veículo onde estava a mulher, que trabalhava como motorista de aplicativo, e desferido as facadas. Depois de cometer o homicídio fugiu de moto. No entanto, o carro do suspeito foi encontrado horas depois, abandonado, em uma ponte na BR-116, no trecho de Guaíba.