Carro usado em atropelamento que matou jovem em Porto Alegre é encontrado

Carro usado em atropelamento que matou jovem em Porto Alegre é encontrado

Veículo Onix estava abandonado em rua do bairro Partenon

Por
Correio do Povo

Mulheres foram atingidas por carro, na zona Sul de Porto Alegre


publicidade

O veículo utilizado no atroplamento que resultou na morte de uma jovem de 19 anos e deixou a mãe dela gravemente ferida foi encontrado na tarde desta terça-feira pela Polícia Civil, em Porto Alegre. O Onix prata, emplacado em Belo Horizonte, pertence a uma locadora e foi localizado na rua Rita Barem, bairro Partenon, na zona Leste da cidade. No crime ocorrido na noite de ontem, o condutor fugiu sem prestar socorro após atingir as duas mulheres na avenida Aparício Borges, a menos de um quilômetro do local do incidente.

O carro estava abandonado e com o para-brisa quebrado, além da parte dianteira amassada pelo impacto dos corpos. Conforme o titular da Delegacia de Homicídios de Trânsito, delegado Carlo Butarelli, as autoridades já têm a identidade do homem, mas não podem informá-la. Ele explica que o veículo foi localizado depois que moradores ligaram: "Chegou uma informação de que teria um carro com as mesmas características, então uma equipe foi até o local", revela.


De acordo com Butarelli, o fato de o veículo pertencer a uma locadora é indiferenteda polícia, no laudo pericial. "Cabe ao condutor do veículo responder pelo crime", resume. Conforme o Código Penal Brasileiro, "deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública" é considerado crime. A pena é detenção, de um a seis meses, ou multa – ela é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta em morte.