Carroceiro é indiciado pela Polícia Civil por maus tratos aos animais em Canoas

Carroceiro é indiciado pela Polícia Civil por maus tratos aos animais em Canoas

Ele cometeu crueldade contra um cavalo, que passava fome, tinha lesões e queimaduras pelo corpo

Correio do Povo

Equino foi resgatado no dia 16 deste mês no bairro Harmonia

publicidade

A Polícia Civil de Canoas indiciou um carroceiro, de 33 anos, por crueldade contra um cavalo e ele vai responder por maus tratos aos animais. O inquérito foi presidido pela delegada Tatiana Barreira Bastos, titular da 4º DP, no âmbito da operação Arca. Durante as investigações, o resgate do equino ocorreu no dia 16 deste mês no bairro Harmonia.

Após receberem três denúncias anônimas dando conta de um cavalo passando fome e com diversas lesões e queimaduras de corda pelo corpo, os policiais civis se dirigiram até o local indicado. A ação contou com o apoio da Secretaria Extraordinária dos Direitos Animais de Canoas, sendo resgatado o animal e encaminhado para os cuidados necessários. Um veterinário responsável atestou os maus tratos sofridos.

“O cavalo foi encontrado extremamente magro e com diversas lesões espalhadas pelo corpo, provavelmente causadas por cordas de veículo de tração animal, o que é proibido no município”, observou a delegada Tatiana Barreira Bastos.

Já o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mario Souza, frisou que a operação Arca “é especial e permanente”, sendo “fundamental para o combate aos maus tratos a animais”. Ele destacou ainda que “as pessoas devem denunciar esses abusos” no sentido de responsabilizar criminalmente os abusadores e resgatar e cuidar os animais.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895