Casal que adotava três irmãos é indiciado homicídio qualificado, estupro de vulnerável e tortura

Casal que adotava três irmãos é indiciado homicídio qualificado, estupro de vulnerável e tortura

Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Gravataí investigou morte de uma das crianças

Correio do Povo

Na quarta-feira passada, os agentes prenderam o homem, de 44 anos, em Tramandaí, e a mulher, de 39 anos, em Três Coroas

publicidade

A titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Gravataí, delegada Karina Heineck, anunciou na manhã desta segunda-feira a conclusão do inquérito sobre um casal acusado da morte de uma criança que estava sendo adotada. “Foi remetido ao Poder Judiciário na sexta-feira passada. Ambos indiciados por homicídio qualificado, estupro de vulnerável e tortura”, revelou à reportagem do Correio do Povo. “Considerando as penas máximas previstas, em caso de condenação, poderão pegar mais de 80 anos cada um”, acrescentou.

Na quarta-feira passada, a equipe da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher e os agentes da Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa prenderam o homem, de 44 anos, em Tramandaí, e a mulher, de 39 anos, em Três Coroas. O casal teve as prisões preventivas decretadas pela Justiça. Eles foram investigados pelo óbito de uma menina, de cinco anos, ocorrido no dia 21 de julho deste ano. A criança foi levada já sem vida a um posto de saúde de Gravataí, sendo dada a versão de que havia ocorrido uma queda.

Os suspeitos residiam em Três Coroas, mas estavam morando em um sítio no bairro Barro Vermelho, em Gravataí. A vítima e outras duas irmãs mais velhas dela, de seis e de nove anos, estavam também em um processo de adoção pelo casal.

No trabalho investigativo, a delegada Karina Heineck recebeu os laudos do Departamento Médico Legal do Instituto-Geral de Perícias que apontaram dois traumatismos como causa da morte da criança. Além disso, o documento apontou que o intestino da vítima foi rompido, além de estupro e lesões pelo corpo.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895