Cerco policial em Gramado já prendeu sete suspeitos
capa

Cerco policial em Gramado já prendeu sete suspeitos

Polícia faz buscas a criminosos que efetuaram tentativa de sequestro na sexta-feira

Por
Halder Ramos

Polícia tem montado cerco em estradas e áreas de mata em busca do oitavo suspeito

publicidade

O cerco aos assaltantes que cometeram roubos com reféns em Gramado chegou ao quarto dia nesta segunda-feira. No total, foram presas sete pessoas envolvidas nos ataques. Destes, dois criminosos que participaram do roubo contra o sítio do empresário e cinco pessoas que vieram para fazer o resgate dos assaltantes que estavam escondidos no matagal. No cerco policial, foram registrados cinco tiroteios e perseguições entre bandidos e agentes de segurança. Também foram apreendidos 10 veículos, armas e objetos furtados pela quadrilha. Em um sítio em Glorinha, a Polícia Civil apreendeu 40 quilos de explosivos no começo da tarde de domingo.

O trabalho de buscas concentrou esforços na captura do último foragido, que é um dos líderes da quadrilha e está escondido na região da Cascata do Caracol, no interior de Canela. Com reforços de Caxias do Sul e Porto Alegre, um forte aparato foi mobilizado pela Brigada Militar na tentativa de prender o suspeito. Além de atacar o sítio de empresário local, o homem cometeu outro assalto com sequestro na noite de domingo.

Para tentar fugir do cerco, o homem roubou uma caminhonete de turistas em uma pousada de Gramado. Na fuga, levou três pessoas da mesma família como reféns. No entanto, foi interceptado pela Brigada Militar. Ele abandonou o veículo com as vítimas e voltou a entrar na mata. Os reféns foram liberados sem ferimentos.

Em Gramado, o cerco foi encerrado na noite de domingo, após a prisão do outro líder do grupo no bairro avenida Central, próximo de um posto de combustíveis na estrada Gramado/Canela, na ERS 235. O bandido entrou em confronto com os agentes e acabou baleado. O criminoso foi levado com vida para o Hospital São Miguel em estado grave.

O delegado de Gramado, Gustavo Barcellos, destaca que o grupo é responsável por outro assalto contra empresário em Gramado. O crime foi cometido na casa da vítima, no Centro, no final de outubro. Barcellos enfatiza que as investigações continuam. Além de trabalhar pela captura do foragido que está na mata, a polícia quer investigar o envolvimento de possíveis informantes da quadrilha.

Barcellos explica que as investigações ao bando iniciaram logo após o assalto contra o primeiro empresário. "Rapidamente a investigação conseguiu elementos de prova que possibilitaram chegar aos suspeitos. Com base nas investigações, nós conseguimos saber que na sexta-feira haveria outra ação do mesmo grupo criminoso envolvendo um outro empresário", revela.

O delegado conta que as investigações focaram esforços em descobrir quem seria o novo alvo dos criminosos. "Descobrimos na tarde de sexta-feira e nos deslocamos até os endereços deste empresário que seria vítima do crime. Dividimos as equipes entre a casa e o sítio da vítima. A equipe que chegou ao sítio visualizou o veículo da vítima saindo da propriedade com três criminosos e quatro pessoas feitas de refém", conta.

Os agentes montaram uma barreira, mas os assaltantes não respeitaram a ordem de parada e empreenderam fuga, colidindo contra a viatura e atropelando dois policiais civis. "Além de tocar o carro contra os policiais, os criminosos atiraram contra nós. Para preservar a vida das vítimas, efetuamos disparos nos pneus do veículo para inviabilizar a fuga. Conseguimos resgatar as vítimas ilesas. Infelizmente, tivemos um policial ferido com gravidade. Ele continua hospitalizado em Caxias do Sul", detalha.

Com o carro batido, os três assaltantes entraram na mata e um grande cerco policial foi montado para tentar capturá-los no sábado. Cinco pessoas foram presas ao longo do dia – um dos suspeitos e mais quatro que vieram auxiliar no resgate. No começo da noite, houve novo confronto entre bandidos e policiais. Os dois assaltantes que aguardavam resgate no bairro Três Pinheiros receberam a tiros o veículo com os delegados  Heliomar Franco e Gustavo Barcellos. Os agentes reagiram. Ninguém ficou ferido no confronto e os homens voltaram a ingressar na mata densa. "É uma quadrilha composta por integrantes da mesma família. São assaltantes de alta periculosidade, com uma personalidade antissocial e de uma ausência de valores inacreditáveis. Possuem uma compulsão por tomar o patrimônio dos outros e não respeitam as autoridades. Reagem armados e, mesmo que precisem matar alguém, pensam em fugir", afirma o delegado regional Heliomar Franco.