Comissão Externa da Câmara dos Deputados realiza encontros e audiências em Porto Alegre

Comissão Externa da Câmara dos Deputados realiza encontros e audiências em Porto Alegre

Agenda inclui encontros com familiares de Beto, morto no Carrefour, além de autoridades, vereadores e movimentos sociais

Correio do Povo

Pai da vítima, João Batista Freitas, 65 anos, recebeu condolências dos parlamentares

publicidade

Está em Porto Alegre a Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha a investigação da morte de João Alberto Silveira Freitas, João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, o Beto, por dois seguranças do Hipermercado Carrefour, no bairro Passo da Areia, na noite de 19 do mês passado. Uma série de diligências são realizadas ao longo desta terça-feira na Capital. “A comissão de acompanhamento do assassinato de João Alberto, em uma unidade do Carrefour em Porto Alegre, se reuniu agora pela manhã para ouvir familiares, representantes de movimentos sociais e vereadores eleitos de Porto Alegre.”, explicou a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), uma das integrantes da comitiva.

A primeira atividade da comitiva foi prestar condolências e solidariedade aos familiares, incluindo a viúva Milena Borges Alves, 43 anos, e o pai da vítima, João Batista Freitas, 65 anos, que estiveram presentes no encontro realizado no Hotel Plaza São Rafael. “Escutamos depoimentos muito emocionantes e fortes de um pai que representa nessa hora todos os pais e mães que têm seus filhos mortos pela violência racista. Temos um dia muito desafiador ao racismo estrutural no Brasil”, declarou Maria do Rosário.

Lembrando que está em busca de Justiça, o pai de Beto disse que qualquer atividade, como a visita dos deputados federais, é “válida no sentido de banir da sociedade este sentimento horrível do racismo”. João Batista Freitas afirmou também que “alguma coisa precisa ser feita” em relação à intolerância racial. Para ele, a morte do filho não pode ser esquecida. “Se um dia queremos ter uma sociedade mais igualitária, então o caso não pode cair no esquecimento", completou.

Maria do Rosário foi designada pelo coordenador da comissão, deputado Damião Feliciano (PDT-PB), para receber propostas apresentadas pelos vereadores, vereadoras e movimentos sociais de Porto Alegre, junto com a deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS) e o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), que também acompanharam a reunião. “A Comissão tem um objetivo mais amplo que é o de enfrentar o racismo estrutural e definir um pacote de projetos de leis que possam contribuir neste enfrentamento com medidas de fato estruturais contra o racismo”, frisou Maria do Rosário. “A violência está naturalizada na sociedade”, observou a parlamentar. Ela acrescentou ainda que existe um trabalho de “impedir a impunidade” no caso do Carrefour.

A agenda inclui visitas na Polícia Federal e Defensoria Pública do Estado, além de audiência com o governador Eduardo Leite em conjunto com o Ministério Público do Rio Grande do Sul, Polícia Civil e Brigada Militar. Depois, os deputados federais reúnem-se com o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, e com o Grupo Carrefour no Brasil. Todos os encontros respeitam as normas sanitárias impostas pela pandemia de Covid-19.

 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895