Contêineres-celas começam a funcionar em Novo Hamburgo
capa

Contêineres-celas começam a funcionar em Novo Hamburgo

Estruturas têm capacidade de abrigar 32 presos, evitando que fiquem em viaturas

Por
Correio do Povo

Contêineres possuem 6 metros de comprimento por 2,44 de largura e 2,60 de altura

publicidade

Os dois contêineres-celas instalados no Instituto Penal de Novo Hamburgo entram em operação a partir desta quinta-feira, após terem sido instalados há seis meses. Eles podem abrigar até 32 presos enquanto aguardam vagas no sistema penitenciário. Atualmente os presos ficam recolhidos nas celas das Delegacias de Polícia de Pronto Atendimento (DPPAs) de Novo Hamburgo e São Leopoldo ou nas viaturas da Brigada Militar estacionadas nos dois locais.

O secretário adjunto da Segurança Pública do Estado, Marcelo Gomes Frota, explicou que a guarda externa será realizada em um primeiro momento pela tropa da Força Gaúcha de Pronta Resposta e depois pelos policiais militares da reserva remunerada vinculados ao Programa Mais Efetivo, que serão chamados e receberam instrução de atualização. Ele observou que o período estimado para essa transição é de aproximadamente duas semanas. “À Superintendência dos Serviços Penitenciários caberá o manuseio com os presos que forem destinados ao espaço, além de atendimento médico, refeições, trâmite administrativo de recepção e de encaminhamento dos custodiados para as vagas no sistema prisional”, esclareceu. 

Frota acredita que se trata de mais uma medida para amenizar o problema. “Os contêineres-celas oferecem uma melhor condição aos presos se comparada à situação de custódia nas viaturas e delegacias. Outra vantagem é que demandará um número menor de policiais na custódia, permitindo que sejam empregados na sua atividade fim, ou seja, o policiamento ostensivo”, ressaltou o secretário.   

Os contêineres-celas são feitos de aço e possuem 6 metros de comprimento por 2,44 metros de largura e 2,60 metros de altura. A estrutura foi modificada e cada unidade possui bancos de madeira maciça, divisória interna para sanitário, grades antivandalismo, iluminação, ar-condicionado e sistema de água e esgoto. O equipamento foi orçado em cerca de R$ 70 mil, tendo o seu valor custeado pela Vara de Execuções Criminais de Novo Hamburgo, com recursos oriundos de transações penais.