Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul recebe reforço de 101 novos soldados

Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul recebe reforço de 101 novos soldados

Com investimentos de R$ 38,6 milhões até 2022, instituição também trocou o comando-geral

Correio do Povo

Formatura ocorreu em Porto Alegre

publicidade

O novo comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS), coronel Luiz Carlos Neves Soares Júnior, assumiu o cargo na manhã desta quarta-feira com a previsão de um investimento total de R$ 38,6 milhões até 2022 para a instituição dentro do programa Avançar na Segurança, do Governo do Estado. 

A posse ocorreu durante a solenidade de formatura de 101 novos soldados da instituição. Eles estão habilitados a partir de agora a exercerem as diversas atividades no nível inicial da carreira de nível médio de bombeiro militar, como combate e prevenção contra incêndios, busca, salvamento e defesa civil, entre outras.

Os novos soldados concluíram mais de 1,6 mil horas/aula, com disciplinas como técnicas de salvamento, técnicas de combate a incêndio, atendimento pré hospitalar e direitos humanos, além do estágio supervisionado. A cerimônia ocorreu no Teatro da Fiergs, em Porto Alegre. O governador Eduardo Leite e o vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, estiveram presentes, entre outras autoridades e convidados.

“É fundamental um trabalho com harmonia, com sinergia, com sintonia entre as instituições, respeitando de cada uma as peculiaridades e especificidades”, declarou Eduardo Leite, na saudação aos alunos formandos.

“É mais um compromisso do nosso governo com relação ao recompletamento de efetivos das vinculadas à SSP”, frisou Ranolfo Vieira Júnior. “Qualificamos cada vez mais esta área”, complementou, citando a aquisição de equipamentos para o CBMRS através do programa Avançar na Segurança.

Sobre o novo contingente do CBMRS, o vice-governador e secretário destacou que a “distribuição do efetivo é de maneira estratégica para que não tenha nenhum quartel com menos de 20 bombeiros”. “Sejam felizes e fiquem à disposição e prestem o melhor serviço à sociedade gaúcha”, desejou Ranolfo Vieira Júnior aos novos soldados da instituição.

Ele lembrou que os bombeiros colocam em risco à própria vida e citou o “trágico incêndio” na SSP que resultou na morte do tenente Almeida e sargento Munhoz, do CBMRS, na noite de 14 de julho deste ano. “Ser bombeiro militar não é atividade para qualquer pessoa..É considerado um herói pela sociedade….”, observou.

"Busquem sempre o conhecimento e estejam sempre atualizados...seja dedicados e comprometidos...Atendam as pessoas sem ver a condição social, cor, credo e orientação sexual. Tratem as mesmas como gostariam de ser tratados”, ressaltou por sua vez o novo comandante-geral do CBMRS, em seu discurso.

“O risco é presente na profissão que abraçaram...Mantenham-se treinados e atualizados, pois muitas vidas e patrimônios dependem de suas mãos…”, enfatizou o coronel Luiz Carlos Neves Soares Júnior.

Ele ingressou em 1991 na Brigada Militar e exercia desde março deste ano as funções de subcomandante-geral do CBMRS, ocupando agora o cargo do coronel César Eduardo Bonfanti, que entrou para a reserva remunerada após 34 anos de serviços prestados.

“Desejo a todos formandos muito sucesso na carreira. Que todo o conhecimento recebido na academia de bombeiros seja agora usado em prol da sociedade gaúcha”, despediu-se o coronel César Eduardo Bonfanti, escolhido como paraninfo da turma.

Como novo subcomandante-geral do CBMRS assumiu o coronel Otávio Polita Filho, que até então era o diretor do Departamento de Planejamento e Integração (DPI) da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

AVANÇAR

Lançado recentemente, o programa Avançar na Segurança prevê a liberação de R$ 38,6 milhões para o CBMRS, sendo que R$ 34,8 milhões para renovação da frota. Serão compradas 28 ambulâncias resgate, no valor de R$ 9,2 milhões, para municípios que ainda não contam com esse equipamento. Haverá ainda aquisição de 12 caminhões de combate a incêndio, que somam R$ 10,2 milhões.

Outro destaque será a compra de dois caminhões com auto escada mecânica articulada, com alcance mínimo de 42 metros de altura, ao custo total de R$ 17 milhões. Tratam-se dos primeiros veículos adquiridos pelo governo com capacidade para levar os bombeiros militares em operações de resgate e combate a incêndio estrutural, no lado de fora das edificações, em prédios altos.

Está prevista também a compra de uma embarcação de busca, salvamento e combate incêndio, no valor de R$ 3,5 milhões, sendo a primeira da história da instituição.

Até 2022, o CBMRS também receberá 512 conjuntos de proteção de combate a incêndio estrutural, compostos por bota, calça, capa, luva, balaclava, capacete e equipamento de proteção respiratória. Os recursos somam R$ 2,2 milhões. A construção da sede do pelotão de Guaíba, com investimento de R$ 1,6 milhão, está contemplada igualmente do programa Avançar na Segurança.  


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895