Corpo do policial militar Jlhonatan Maximovitz é sepultado em Getúlio Vargas

Corpo do policial militar Jlhonatan Maximovitz é sepultado em Getúlio Vargas

Soldado da Força Tática do 13º BPM morreu após ser atropelado por carro com criminosos em Erechim

Correio do Povo

Brigadiano ingressou em novembro de 2016 na corporação

publicidade

O corpo do soldado Jlhonatan Grendene Caverzan Maximovitz, 28 anos, foi sepultado no domingo em Getúlio Vargas. O policial militar havia sido atropelado na tarde de sábado passado por um Chevrolet Monza em Erechim. O efetivo da Força Tática do 13º BPM atendia uma ocorrência de arremesso de objetos ilícitos para o interior do Presídio Estadual de Erechim.

O vice-governador e secretário estadual da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, compareceu ao enterro e fez uma postagem no Twitter. “Na despedida do soldado Jlhonatan Maximovitz, morto em serviço. Quando criminosos matam um policial, ferem toda a sociedade! Meus sentimentos aos familiares, amigos e a todos os colegas”, redigiu.

A Brigada Militar emitiu nota de luto oficial. “A BM se solidariza com os familiares e amigos do Soldado Maximovitz neste momento tão difícil”, manifestou-se. Homenagens nos quartéis foram prestadas, com toque de silêncio e continência.

A Secretaria da Segurança Pública também solidarizou-se com familiares e amigos do soldado “neste momento de dor”. A SSP assegurou que não serão poupados “esforços para responsabilização dos criminosos que já estão presos” e lembrou que “o soldado tombou no cumprimento da missão de proteger com a própria vida a sociedade e a ele devemos nosso eterno respeito e gratidão”.

Após o arremesso ser flagrado pelo serviço de videomonitoramento, o efetivo do 13ºBPM desencadeou um cerco e uma perseguição aos dois indivíduos que estavam no Monza. Ao desembarcarem da viatura 9421, os policiais militares foram surpreendidos pelo veículo em alta velocidade na faixa paralela do km 242 da BR 153. O carro atingiu o soldado Maximovitz e colidiu contra outro automóvel. Os criminosos foram presos em flagrante.

O brigadiano ferido gravemente foi socorrido e hospitalizado, mas acabou falecendo. O soldado Maximovitz ingressou na Brigada Militar em 16 de novembro de 2016 e deixa esposa.

 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895