Corpo do taxista morto em assalto é localizado no rio da Várzea, em Carazinho

Corpo do taxista morto em assalto é localizado no rio da Várzea, em Carazinho

Dois suspeitos do latrocínio já estão presos, mas um terceiro encontra-se foragido

Correio do Povo

Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul realizava buscas nas águas

publicidade

O corpo do taxista Fernando Schmitt, 41 anos, foi localizado na manhã deste sábado no rio da Várzea, no distrito de São Bento, na zona rural de Carazinho. A vítima foi morta em um latrocínio, roubo seguido de morte da vítima, no sábado passado. Familiares acompanharam as buscas realizadas pelo Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul. O Instituto-Geral de Perícias foi acionado para o recolhimento do corpo.

A investigação do crime pela Polícia Civil é cbnduzida através dos delegados Jader Ribeiro Duarte e Rita Felber de Carli. Na última quinta-feira, os agentes prenderam os dois suspeitos do crime durante o cumprimento de mandados de prisão preventiva. Um terceiro envolvido está foragido.

"O corpo estava a aproximadamente um quilômetro do local de onde havia sido jogado. Isso aconteceu em função das chuvaradas, que elevaram muito o nível do rio", afirmou a delegada Rita de Carli.

As investigações apontaram que o taxista, que trabalhava no ponto da Estação Rodoviária, foi contratado no sábado passado para fazer uma corrida para um determinado local por três indivíduos, que embarcaram no táxi Fiat Uno da vítima, após deixarem uma boate no bairro São Jorge.

No caminho, o trio anunciou o assalto e assassinou a tiros a vítima, sendo jogado o corpo no rio da Várzea. O Fiat Uno foi encontrado abandonado ainda no domingo no bairro Floresta. Havia manchas de sangue nos bancos do veículo. O caso mobilizou na ocasião o 38º BPM da Brigada Militar.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895