Corpo enterrado em residência é de jovem desaparecida em Carazinho desde fevereiro

Corpo enterrado em residência é de jovem desaparecida em Carazinho desde fevereiro

Polícia Civil confirmou identificação após familiares da jovem reconhecerem tatuagem nem um braço da vítima

Correio do Povo

Cadáver foi encontrado em uma cova na antiga garagem da casa

publicidade

A Polícia Civil confirmou nesta quarta-feira que o corpo de uma mulher encontrado em uma residência no bairro Princesa, em Carazinho, é de Suelen Marins, de 23 anos. A jovem estava desaparecida desde dia 26 de fevereiro deste ano. O caso é investigado pela Polícia Civil através da equipe da delegada Rita Felber de Carli. O suspeito do crime, de 39 anos, está preso temporariamente desde a semana passada.   

À reportagem do Correio do Povo, o titular da 28ª Delegacia de Polícia Regional do Interior, delegado Edson Tadeu Cezimbra, observou que familiares da jovem identificaram o corpo por meio dos nomes dos dois filhos pequenos da vítima que estavam tatuados em um dos braços.

Sobre o suspeito detido, o delegado Edson Tadeu Cezimbra explicou que uma possível relação entre os dois ainda está sendo apurada. “Não temos essa certeza de que existia relação afetiva, o que será definido na finalização do inquérito policial”, frisou. A linha de investigação, por enquanto, é de feminicídio.

O Instituto-Geral de Perícias (IGP) foi acionado após a localização do cadáver na tarde de terça-feira na residência. Uma equipe do Posto de Criminalística do IGP em Passo Fundo realizou a perícia no local. A vítima estava enterrada, enrolada em uma lona plástica de cor preta, na antiga garagem da casa. A cova estava escondida sob um tapete. O cadáver foi levado para o Posto Médico-Legal de Carazinho, onde será realizada a identificação oficial.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895