Cremers confirma cassação cautelar de cirurgião plástico acusado de abuso sexual por 127 pacientes

Cremers confirma cassação cautelar de cirurgião plástico acusado de abuso sexual por 127 pacientes

Registro profissional do médico ficará suspenso até que o caso seja encerrado

Correio do Povo

Profissional foi preso em julho em Gramado

publicidade

O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) confirmou nesta terça-feira a cassação cautelar do registro médico do cirurgião plástico, de 54 anos, acusado de abusar psicológica e sexualmente de ao menos 127 pacientes. O médico está preso desde o dia 16 de julho passado.

Segundo a entidade que regulamenta o exercício da medicina no Estado, o registro foi suspenso de forma extraordinária. Na prática, a medida impede que o médico exerça as funções até que o caso seja encerrado. Para ter o registro excluído em definitivo, o profissional precisa ser condenado pelo Cremers e também pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Antes mesmo da nova onda de denúncias, o cirurgião plástico havia sido alvo de sindicâncias no Cremers. As decisões em prol da cassação, entretanto, acabaram revertidas em Brasília.

Os casos voltaram à tona quando a Polícia Civil deflagrou uma operação para recolher provas relacionadas a 12 denúncias de abuso sexual feitas na 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Porto Alegre. Outras 115 possíveis vítimas apareceram depois. Os crimes contra a dignidade sexual teriam sido praticados desde 2007.

O médico foi detido em 16 de julho passado em Gramado, na Serra Gaúcha, após o registro de diversas ameaças feitas por sua namorada às denunciantes. A mulher usava as redes sociais para tentar coagir as vítimas. Na semana passada, o então advogado do acusado abandonou o caso após divergências com a companheira do acusado.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895