Depoimentos são aguardados pela Polícia Civil no caso dos quatro mortos em pizzaria na Capital

Depoimentos são aguardados pela Polícia Civil no caso dos quatro mortos em pizzaria na Capital

Investigação inclui análise do vídeo com imagens de uma câmera de monitoramento do estabelecimento

Correio do Povo

Duas mulheres que aparecem no vídeo são esperadas na 5ª DPHPP

publicidade

O titular da 5ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (5ª DPHPP), delegado Gabriel Lourenço, aguarda o comparecimento para depor das duas mulheres que aparecem no vídeo da pizzaria, onde quatro homens foram mortos por um policial militar dentro do banheiro. “Até o momento a gente aguardou e elas não compareceram”, confirmou no início da tarde desta terça-feira à reportagem do Correio do Povo.

Os policiais civis também esperam o comparecimento do brigadiano na 5ª DPHPP. Além da análise das imagens do vídeo do estabelecimento comercial e laudos periciais, as investigações sobre o caso incluem compreender as circunstâncias que levaram ao desfecho trágico e localização de mais testemunhas. 

Na última segunda-feira, a diretora do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), delegada Vanessa Pitrez, havia afirmado que a tese legítima defesa é a primeira linha do trabalho investigativo, mas outras hipóteses são apuradas como de praxe no trabalho policial.

No final da madrugada de domingo passado, o policial militar teria ido atrás da namorada em uma festa em uma casa e aconteceu um desentendimento com algumas pessoas, sendo perseguido por elas. O brigadiano buscou refúgio no banheiro da pizzaria, localizada na avenida Manoel Elias, no bairro Mario Quintana, sendo o mesmo invadido por quatro homens, identificados como dois irmãos, um sobrinho e um primo.

Todos os quatro indivíduos acabaram baleados e mortos pelo policial militar, que estava armado com uma pistola calibre 40. “Vamos apurar todas as circunstâncias do fato para confirmar a versão inicial de que se trata de legítima defesa ou foi um homicídio quádruplo”, assegurou na segunda-feira a delegada Vanessa Pitrez. Por sua vez, a Brigada Militar instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM).


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895