Descartada participação de gaúchos no caso do casal assassinado em Chapecó, em SC

Descartada participação de gaúchos no caso do casal assassinado em Chapecó, em SC

Veículo das vítimas havia sido encontrado três dias depois do desaparecimento na cidade de Trindade do Sul, no RS

Correio do Povo

Retroescavadeira foi usada para a retirada dos corpos enterrados

publicidade

O titular da Divisão de Investigação Criminal de Chapecó (DIC) da Polícia Civil de Santa Catarina, delegado Vagner Papini, descartou o envolvimento de gaúchos no assassinato do casal que estava desaparecido desde o dia 20 de janeiro deste ano. Os corpos de Evanir Pires dos Santos Taborda, 34 anos, e Simone da Silva Fialho, 32 anos, foram localizados enterrados na última quarta-feira em um matagal em Linha Alto da Serra, no interior do município.

Três dias depois do desaparecimento, o veículo das vítimas, um Volkswagen Up, de cor branca, foi encontrado O carro deles estava abandonado em uma rua da cidade gaúcha de Trindade do Sul, distante cerca de 70 quilômetros de Chapecó. Imagens de uma câmera mostraram um suspeito deixando o automóvel no local.

“Apenas levaram o carro ao Rio Grande do Sul para tentar nos despistar e fazer com que a investigação fosse feita pela Polícia Civil do RS”, explicou o delegado Vagner Papini à reportagem do Correio do Povo na manhã desta quinta-feira.

As buscas foram realizadas entre a noite de terça-feira e a manhã de quarta-feira. Um chinelo da mulher foi encontrado na área. Pela manhã, os restos mortais das vítimas, enterrados em duas covas, foram localizados com ajuda de um cão farejador do Corpo de Bombeiros de Xanxerê.

Uma retroescavadeira foi utilizada para a retirada dos corpos das valas. O Instituto Geral de Perícias foi acionado. “Eles foram mortos com disparos de arma de fogo”, declarou o delegado Vagner Papini ao jornal Notícias do Dia, considerando a investigação como “bastante complexa”. A DIC de Chapecó já ouviu mais de 50 pessoas e realizou várias diligências ao longo do trabalho investigativo.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895