Duas festas clandestinas são encerradas pela Guarda Municipal em Porto Alegre

Duas festas clandestinas são encerradas pela Guarda Municipal em Porto Alegre

Houve ainda dispersões de aglomerações em três locais tradicionais de movimentação noturna

Correio do Povo

Ação ocorreu também nas ruas de vários bairros

publicidade

A Guarda Municipal de Porto Alegre acabou com duas festas clandestinas durante uma operação entre a noite de sábado e madrugada deste domingo na cidade. A ação foi realizada em conjunto com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Corpo de Bombeiros Militar e Brigada Militar. O objetivo foi fiscalizar o respeito às normas sanitárias devido à pandemia de Covid-19.

Atendendo a denúncia pelo telefone 156, os agentes da GM flagraram uma festa com aproximadamente 250 pessoas em um galpão no Sambódromo do Porto Seco, na Zona Norte da Capital. Houve a constatação de que o som estava exageradamente alto. O local não possuía ainda alvará de funcionamento e nem plano de prevenção e proteção contra incêndios. O responsável pelo evento foi autuado.

Já na rua Inácio da Silveira, na Ilha Grande dos Marinheiros, os guardas municipais encerraram uma festa de aniversário com mais de 100 pessoas. O local também não possuía alvará e plano de prevenção e proteção contra incêndios.

Durante a operação foram dispersadas ainda aglomerações nas ruas Padre Chagas e Luciana de Abreu, no bairro Moinhos de Vento, na rua Fernando Machado, no Centro Histórico, e na esquina das ruas República com Lima e Silva, no bairro Cidade Baixa.

Por sua vez, um estabelecimento situado na esquina da rua Félix da Cunha e Travessa Azevedo, no bairro Floresta, foi autuado por não respeitar o distanciamento mínimo exigido pelos protocolos de segurança.

"As ações continuam intensas. O nosso objetivo é orientar, prevenir para que sejam cumpridas todas as normas de segurança. Quando necessário, agimos com autuações e interdições para manter os protocolos, visando sempre à manutenção da segurança sanitária", enfatizou o comandante da Guarda Municipal, Marcelo do Nascimento Silva. Ele lembrou que denúncias devem ser feitas para os telefones 153 e 156.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895