Edelvânia passa mal em depoimento
capa

Edelvânia passa mal em depoimento

Queda na sala do Fórum de Três Passos ocorreu após cerca de 30 minutos da fala de acusada

Por
Henrique Massaro

Edelvânia passou mal enquanto prestava depoimento no Caso Bernardo

publicidade

O depoimento da terceira acusada, Edelvânia Wirganovicz, sobre a morte do menino Bernardo Boldrini foi interrompido no começo da tarde desta quinta-feira. Emocionada e chorando muito, a ré passou mal e caiu da cadeira enquanto prestava depoimento no Fórum de Três Passos. A sessão foi suspensa e ela foi levada para receber atendimento em outra sala. A juíza Sucilene Engler informou que Edelvânia Wirganovicz foi diagnosticada pelo médico e que de fato passou mal. Após a retomada da sessão, Edelvânia retornou ao salão do júri, mas não irá mais se manifestar. "Nós entendemos que ela já apresentou a defesa dela”, afirma Gustavo Nagelstein, um dos advogados da acusada

Antes do desmaio, Edelvânia contrariou algumas falas de Graciele Ugulini, que prestou depoimento antes dela. Disse ainda que foi coagida pela Polícia Civil. “A delegada me coagiu. Ela só deixou a arma em cima da mesa e botou a câmera para filmar”, disse Edelvânia. “Não deixou eu chamar advogado nenhum”, acrescentou. 

No depoimento, Edelvânia relatou que Graciele disse não se dar bem com Bernardo e que teria um amante, chamado de Rodrigo, que seria de Frederico Westphalen. Em outro momento de sua fala, Edelvânia absolveu o irmão, Evandro, de qualquer envolvimento com o crime. “Eu trabalhei na lavoura até os 17 anos, eu tenho força. Eu cavei aquela cova”, disse a acusada.