Encontrado mais um corpo próximo de região da chacina em Viamão

Encontrado mais um corpo próximo de região da chacina em Viamão

Polícia ainda não identificou a vítima e se tem ligação com os crimes da madrugada desta terça-feira

Correio do Povo

Corpo foi localizado na região perto onde sete corpos foram encontrados em Viamão

publicidade

A Polícia Civil de Viamão encontrou um corpo, ainda não identificado, na rua Cascavel, no Parque Índio Jari. O local fica na região onde na madrugada desta terça-feira sete pessoas foram mortas. O órgão de segurança investiga se a morte tem ligação com os corpos das três mulheres e quatro homens encontrados no bairro.

Chacina

A chacina ocorreu quando criminosos invadiram uma residência e mataram quatro pessoas à tiros. Outras três foram assassinadas em vias públicas: nas ruas Professor Freitas Cabral, Guarapari e Aranguará. Uma delas chegou a ser encaminhada com vida a uma Unidade de Pronto Atendimento da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo relato de um morador, que não quis se identificar, a região é marcada pela violência. "A região é muito tensa. É muito difícil sair com tranquilidade aqui. A galera está em guerra. É tiro, tiro e tiro sem parar. Aqui é uma região de tráfico intenso. Tem de um lado, tem de outro”, relatou.



Um morador contou também que os grupos rivais de tráfico de drogas não apenas entram em confronto pelo domínio das bocas de fumo, mas cometem até assaltos contra quem reside no território contrário, citando inclusive casos de estupros de jovens. “O pessoal encobre”, admitiu, referindo-se ao silêncio da comunidade em repassar informações às autoridades.

Reforço na segurança

O secretário da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer, determinou reforço policial em Viamão devido à violência na região. “Tivemos uma chacina como resultado do recrudescimento da guerra entre facções criminosas ligadas ao tráfico de drogas. Infelizmente o consumo de drogas vem crescendo de forma exponencial e isso tem consequências no mundo do crime”, declarou Schirmer.

Cinco policiais civis ficarão na cidade da Região Metropolitana até o crime ser elucidado. “Precisamos buscar respostas rápida e concreta sobre o que efetivamente aconteceu”, disse o delegado Leonel Carivali, subchefe de polícia da PC. Parte do efetivo do 1º Batalhão de Operações Especiais (1ºBOE) de Porto Alegre também foi deslocado no início da tarde para desenvolver ações até de madrugada. A BM e a PC estão trabalhando de forma integrada para elucidar o caso o quanto antes.

Caminhão pega fogo

Próximo a região da chacina, um caminhão incendiou nesta terça-feira. Entretanto, segundo a Brigada Militar, não teve nenhuma relação com os crimes. O motor do veículo pegou fogo de forma espontânea, de acordo com a polícia, e as chamas foram contidas por um veículo dos bombeiros.

Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895