Enfrentamento contra Novo Cangaço no Mato Grosso é destaque em evento da Brigada Militar
capa

Enfrentamento contra Novo Cangaço no Mato Grosso é destaque em evento da Brigada Militar

Metodologia será apresentada no 3º Seminário de Operações Especiais aplicadas à Segurança Pública-BOPE 2019, em Porto Alegre

Por
Correio do Povo

Evento é promovido pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) da BM

publicidade

A experiência do Mato Grosso no combate às quadrilhas de ataques a bancos que praticam a modalidade “Novo Cangaço”, que invadem pequenas cidades e usam reféns como escudos humanos, é um dos destaques nesta terça-feira do 3º Seminário de Operações Especiais aplicadas à Segurança Pública-BOPE 2019, que ocorre em Porto Alegre. Para falar sobre o enfrentamento deste tipo de crime foi convidado o major Lucélio Ferreira Martins Faria França, da Polícia Militar do Mato Grosso, cuja palestra no início da tarde vai abordar a interdependência entre operações especiais e inteligência. “O primeiro episódio que tivemos do ‘Novo Cangaço’ foi 1998 em Rondonópolis”, lembrou.

A onda de ataque nos anos seguintes resultou até em mortes de policiais e reféns. “Tivemos um amadurecimento institucional entre 2009 e 2010 quando criamos um núcleo de inteligência no BOPE. A produção do conhecimento é muito importante. Desde então os índices foram caindo até zerar”, ressaltou.

Segundo o major Lucélio Ferreira Martins Faria França, os policiais militares de cada cidade do Mato Grosso foram treinados para atuar diante das quadrilhas de ataques a bancos. “Ensinamos alguns caminhos simples. Ao praticá-los, o policial faz um trabalho preventivo e ajuda a unidade especializada. Quem depara-se primeiro com o problema é o policial da cidade. Ele pode adotar medidas como não ir para a porta do banco. Atuamos com a metodologia de plano de defesa com uma sequência de ações”, explicou.

“Trabalhamos para desestruturar o planejamento da quadrilha no ataque... inclusive, o plano de fuga. Esse treinamento e conhecimento é difundido. Conseguimos zerar os ataques em 2015, 2016 e 2017. Em 2018 tivemos dois casos noturnos e agora em 2019 está de novo zerado”, afirmou.

O III Seminário de Operações Especiais aplicadas à Segurança Pública-BOPE 2019, com cerca de 640 participantes, sobretudo de policiais militares, acontece durante todo o dia no Centro de Eventos da Fiergs. A realização é da Brigada Militar através do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE).

“Nós trabalhamos com muita tecnologia e efetivo em menor número para realizar ações com apoio da inteligência policial. Otimizamos os recursos em cima de uma informação. O objetivo básico desse seminário é fomentar essas ideias”, resumiu o comandante do BOPE, tenente-coronel Douglas da Rosa Soares, nesta manhã.

O encontro sediará ainda no final da tarde a aula inaugural do 13º Curso de Especialização em Operações Especiais que visa o ingresso de novos integrantes ao BOPE. “Temos 20 alunos, sendo 16 da Brigada Militar. Serão 12 semanas com aulas práticas e teóricas, como ações táticas especiais, tiros, mergulho, explosivos, trabalho em mata…”, observou. “É para completar os quadros do BOPE”, frisou.