Estelionatário que prometia obtenção de cidadania italiana chega hoje ao RS
capa

Estelionatário que prometia obtenção de cidadania italiana chega hoje ao RS

Policiais civis gaúchos aguardam ordem judicial para transferir suspeito preso em São Paulo

Por
Correio do Povo

Documentos e passaportes estão entre o material apreendido com o suspeito

publicidade

A Polícia Civil informou que chegará no começo da noite desta quarta no Rio Grande do Sul o estelionatário preso em São Paulo sob acusação de dar o golpe da obtenção de cidadania italiana desde 2016. Cerca de 50 vítimas já foram identificadas, sendo que o prejuízo delas ultrapassa R$ 1,5 milhão, com uma perda em média de R$ 30 mil para cada uma.

Uma equipe da Delegacia de Polícia de Proteção ao Consumidor, Saúde Pública e da Propriedade Intelectual, Imaterial, Industrial e Afins (Decon), do Departamento Estadual de Investigações Criminais, de Porto Alegre, aguarda a autorização judicial de transferência em SP. Junto com os agentes, o delegado Joel Wagner efetuou a prisão preventiva do suspeito, de 39 anos, natural de Caxias do Sul, no início da noite, na cidade paulista de Piracicaba. A operação Lavoro teve apoio dos policiais civis locais. Houve a apreensão de um Ford Edge e vários documentos, passaportes, um notebook e um celular, mas não foi encontrado qualquer quantia em dinheiro. Além do RS, o suspeito agia em vários estados.

As investigações duraram em torno de oito meses. O delegado Joel Wagner explicou que o estelionatário prometia obtenção da cidadania italiana de modo mais rápido e eficaz ao invés do trâmite tradicional via Consulado da Itália no Brasil. A oferta dos serviços de reconhecimento ocorria sobretudo por contatos diretos e indicações, com pessoas de confiança dele buscando clientes. “Elas tinham ascendência italiana e optaram por conseguir a cidadania através fixação de residência por um determinado tempo na Itália. Elas procuravam então a assessoria dele”, relatou.

O golpista prometia levar as pessoas até a Itália e fornecer a logística para permaneceram por um determinado tempo naquele país. O pacote incluía o acompanhamento para a obtenção dos documentos, apostilamento, traduções, passagens aéreas, translado e hospedagem. “Depois de efetuarem o pagamento em reais ou euros, as vítimas não tinham a prestação do serviço prometido. Muitas nem chegaram a viajar e quem foi era lubridiado lá”, resumiu o titular da Decon. “Tudo fazia parte de um artifício para ele obter vantagem indevida”, acrescentou.

Conforme o delegado Joel Wagner, o estelionatário tinha uma empresa constituída desde 2012 quando levava jovens para jogar futebol na Itália. “Posteriormente começou a oferecer serviço de assessoria para obtenção de cidadania italiana”, recordou. O suspeito, revelou, possui imóveis na Itália e tinha viagem agendada para Milão nesta quinta-feira, dia 19. O titular da Decon prevê a partir de agora o aparecimento de mais vítimas com a divulgação do caso. O telefone gratuito do Deic, 0800-510-2828, foi colocado à disposição.