Executado em Porto Alegre, líder de facção criminosa de Canoas faria cirurgia em hospital

Executado em Porto Alegre, líder de facção criminosa de Canoas faria cirurgia em hospital

Alemão da Praia, 32 anos, da Família Mathias Velho, chegou a ter a tornozeleira eletrônica retirada momentos antes ser morto com tiros de fuzil e pistola na avenida Soledade, no bairro Três Figueiras

Correio do Povo

Local foi isolado para o trabalho do IGP

publicidade

A execução do líder da facção criminosa Família Mathias Velho, de Canoas, vulgo Alemão da Praia, de 32 anos, ocorrida na manhã desta segunda-feira em Porto Alegre, é investigada pelo Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa. A apuração do crime será conduzida pela 2ª DPHPP da Capital, sob comando da delegada Roberta Bertoldo, e com apoio da DPHPP de Canoas.

O crime ocorreu na esplanada onde ficam um centro empresarial, um hotel e um hospital na avenida Soledade, perto da avenida Carlos Gomes, no bairro Três Figueiras. A ocorrência mobilizou ainda o 11ºBPM, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Instituto-Geral de Perícias, através do Departamento de Criminalística e Departamento Médico Legal.

“Ele possuía um procedimento cirúrgico agendado para ser realizado aqui no hospital. Ele se deslocou com outros dois amigos. Agentes da Susepe efetuaram a retirada da tornozeleira eletrônica dele”, explicou a delegada Roberta Bertoldo.

No momento em que os agentes penitenciários foram embora, assinalou, um outro veículo aproximou-se da Chevrolet Captiva, de cor preta e blindada, onde estava o trio, e que encontrava-se estacionada. “Dois indivíduos efetuaram os disparos que vieram a atingir a vítima. Os dois que acompanhavam restaram feridos”, observou a titular da 2ª DPHPP. “Esta ação foi extremamente rápida e premeditada...Alguém sabia que a vítima estaria aqui para fazer o procedimento cirúrgico”, enfatizou.

“Os disparos foram feitos no momento em que um dos ocupantes da Captiva blindada abria a porta. Os diversos tiros atingiram os ocupantes e atingiram a vítima principalmente na face. Não houve troca de tiros”, esclareceu a delegada Roberta Bertoldo. O corpo de Alemão da Praia ficou caído ao lado do veículo.

Inúmeros cartuchos deflagrados de calibres de fuzil 556 e de pistola calibre 9 milímetros foram recolhidos no local. Além do aguardo dos laudos periciais, o trabalho investigativo inclui a busca por imagens de câmeras de monitoramento, depoimentos das vítimas e de testemunhas, entre outras diligências.

O diretor da Divisão de Inteligência Policial e Análise Criminal do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, delegado Eibert Moreira Neto, observou que Alemão da Praia teve “um irmão que há pouco meses foi morto em uma emboscada em Canoas, também membro da facção”.

Alemão da Praia tinha extensa ficha de antecedentes criminais, sendo envolvido com homicídios e tráfico de drogas. “Ele estava agora participando de uma disputa muito forte com a facção atuante no bairro Bom Jesus, em Porto Alegre, apoiado por uma facção com domínio na vila Cruzeiro do Sul”, destacou o delegado Eibert Moreira Neto.

A fuga dos atiradores foi por um acesso ao lado do hospital e que leva até a rua Primeiro de Janeiro. “A identificação do veículo já foi feita”, adiantou o diretor. Qualquer informação pode ser repassada, mesmo sob anonimato, ao telefone 0800-642-0121, do  Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.


Foto: Alina Souza / CP


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895