Fábrica clandestina de produção e falsificação de sabão líquido para roupas é fechada em Canoas

Fábrica clandestina de produção e falsificação de sabão líquido para roupas é fechada em Canoas

Empresa ilegal preparava até 25 mil litros por semana e envasava produto em embalagens com o nome de marca de sabão em pó

Correio do Povo

Houve a apreensão do produto falsificado, insumos, embalagens, rótulos, documentos e veículos, entre outros

publicidade

Uma fábrica clandestina de produção e falsificação de sabão líquido para roupas da conhecida marca Omo foi fechada na manhã desta terça-feira pela Polícia Civil em Canoas. A operação foi coordenada pela Delegacia do Consumidor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Houve o cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão em Canoas, Campo Bom e Porto Alegre. No bairro Niterói, em Canoas, os agentes localizaram então a fábrica clandestina. Os policiais civis apreenderam litros do produto falsificado, insumos, embalagens, rótulos e documentos, entre outros. Quatro veículos, incluindo um caminhão e uma van, foram também recolhidos.

A equipe da Delegacia do Consumidor constatou que a empresa ilegal estava produzindo até 25 mil litros de sabão líquido por semana. O produto era totalmente clandestino e sem qualquer autorização dos órgãos competentes, além de ser envasado fraudulentamente em frascos com a marca Omo.

O local foi interditado. Seis pessoas foram conduzidas para esclarecimentos no Deic, em Porto Alegre. Outras três foram presas em flagrante por crimes contra as relações de consumo, a propriedade industrial e de marcas, estelionato e associação criminosa. A operação ocorreu em conjunto com Ministério Público do Rio Grande do Sul e com as equipes das Vigilâncias Sanitárias Estadual e Municipal.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895