Familiares enviam mensagens em vídeo para detentos da Penitenciária Estadual de Canoas 4

Familiares enviam mensagens em vídeo para detentos da Penitenciária Estadual de Canoas 4

Medida foi adotada em consequência da suspensão das visitas presenciais de familiares devido à pandemia do novo coronavírus

Correio do Povo

Iniciativa foi a alternativa encontrada para reduzir o estresse dos apenados

publicidade

Os apenados da Penitenciária Estadual de Canoas 4 (Pecan 4) experimentaram na manhã desta quarta-feira uma alternativa à visita presencial de familiares que foi suspensa devido aos riscos de contágio pelo novo coronavírus non sistema prisional gaúcho. Durante alguns minutos, eles puderam acompanhar por um telão, na área da unidade prisional, mensagens gravadas em vídeo por familiares e dirigidas a ele. Trata-se de uma alternativa encontrada pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seapen) de Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) apara amenizar o estresse da ausência de visitas físicas aos detentos.

Ao todo, foram 36 mensagens previamente enviadas, para um e-mail da penitenciária, editadas em sequência, para exibição aos apenados. Depois, eles receberam papel e caneta para endereçarem aos familiares os agradecimentos e mais alguma manifestação pessoal, estabelecendo uma interlocução, ainda que à distância.

O ato contou com a presença do secretário da Seapen, Cesar Faccioli, e do superintendente da Susepe, Cesar da Veiga, além do promotor de Justiça, Alecxander Thomé. A ideia partiu do supervisor e de uma agente. “Já estávamos indo para quase 30 dias sem qualquer contato entre os detentos e seus familiares, o que sempre provoca algum desconforto. Então, o pessoal veio com essa sugestão, e eu achei muito boa”, explicou o diretor da Pecan 4, Loivo Calistrato. “A iniciativa está inserida na diretriz estratégica e prioritária da Seapen e da Susepe, na área do tratamento penal, “que busca o fortalecimento dos vínculos da pessoa presa com sua família e com suas referências afetivas. E, neste momento, ainda mais, como ação mitigatória do efeito do longo confinamento, sem as visitas presenciais. Além de funcionar também como elemento motivador de bom comportamento”, explicou Cesar Faccioli.

No início dessa semana, o sistema prisional gaúcho viveu sua primeira experiência na história em televisita em projeto-piloto realizado na Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ), em Charqueadas. A suspensão das visitas foi estabelecida através da publicação da nota técnica nº 01/2020, em 16 de março passado, para vigorar por 15 dias, mas acabou prorrogada por mais 15 dias, em ato complementar publicado no dia 2 deste mês.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895