Força-tarefa da Seapen e Susepe transfere cerca de 50 presos recolhidos em celas de delegacias

Força-tarefa da Seapen e Susepe transfere cerca de 50 presos recolhidos em celas de delegacias

Operação é realizada nas DPPAs de Porto Alegre, Região Metropolitana e Vale do Rio dos Sinos

Correio do Povo

Mobilização envolvendo 44 agentes penitenciários foi deflagrada após concentração em Porto Alegre

publicidade

Uma força-tarefa da Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen) e da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) foi montada na manhã desta sexta-feira para a realização de uma operação de transferência de presos que estão atualmente recolhidos em delegacias de Porto Alegre, Região Metropolitana e Vale do Rio dos Sinos. A meta é retirar em torno de 50 detidos que encontram-se nas celas das Delegacias de Polícia de Pronto Atendimento, as DPPAs, aguardando vagas nos presídios. Na última terça-feira, em uma reportagem do Correio do Povo, a Ugeirm Sindicato, que representa os policiais civis, havia alertado para a permanência do problema. Na ocasião, a entidade de classe advertiu sobre “o sério risco de contágio pelo coronavírus e de fuga e rebeliões”, além de “dupla jornada” exercida pelos servidores ao atuarem como carcereiros.

De acordo com a Susepe, a força-tarefa foi formada com 44 agentes penitenciários, incluindo os efetivos do Grupo de Ações Especiais da Susepe (GAES) e do Núcleo de Segurança e Disciplina da Divisão de Segurança e Escolta. A mobilização começou ainda no pátio da sede da Secretaria da Segurança Pública e da Secretaria da Administração Penitenciária, situada na rua Voluntários da Pátria, em Porto Alegre. O próprio secretário da Seapen, Cesar Faccioli, esteve presente no início da operação.

Todos os presos a serem retirados das delegacias nesta sexta-feira estão sendo transferidos para as centrais de triagem da Susepe, onde permanecerão por uma quarentena de 14 dias. Trata-se de uma medida preventiva devido à pandemia do novo coronavírus. Após o período, eles serão encaminhados às vagas disponíveis no sistema prisional caso tenha sido confirmado que não estão infectados com o novo coronavírus, mesmo se estiverem assintomáticos.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895