Gestante que estava em ônibus incendiado em Canoas está em estado grave

Gestante que estava em ônibus incendiado em Canoas está em estado grave

Oito pacientes se feriram por estilhaços e foram levados ao HPS

Samantha Klein

Ônibus e parada de coletivos ficaram totalmente destruídos

publicidade

Após incêndio a coletivo no bairro Mathias Velho, em Canoas, oito das 14 pessoas feridas foram encaminhadas para o Hospital de Pronto Socorro de Canoas. Uma mulher grávida de três meses está internada em estado grave. De acordo com a assessoria de imprensa do município, ela foi transferida para o Hospital Universitário para avaliação com obstetra. Ela está na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da casa de saúde.

Entre as demais vítimas, duas pessoas ainda estão na sala vermelha, também em estado grave, pois inalaram fumaça, e inspiram cuidados. Outros quatro passageiros estão estáveis, mas por terem inalado fumaça, estão em observação para serem reavaliados, e estão na sala verde. Uma pessoa foi atendida e liberada ainda durante a madrugada. 

De acordo com a Brigada Militar, o incêndio criminoso começou quando um homem encapuzado ingressou no coletivo e ordenou a saída dos passageiros. Ao mesmo tempo em que deu a ordem, o criminoso deu início às chamas, com os usuários dentro do ônibus. Houve correria e o motorista não teve tempo de acionar a abertura de todas as portas para que as pessoas descessem. A alternativa foi fugir do fogo pelas janelas. 

A Brigada ainda relatou que outros quatro homens jogaram combustível no veículo da empresa Vicasa enquanto os passageiros fugiam do local. O fogo se espalhou rapidamente e atingiu o terminal, deixando-o carbonizado. O Corpo de Bombeiros foi acionado e fez o combate às chamas.

Segundo o comandante do Comando de Policiamento Metropolitano, tenente-coronel Oto Eduardo Amorim, sem investigação da Polícia Civil é difícil ter uma hipótese a respeito do crime. A guerra entre facções e os homícidios havia diminuído no município. "O que nos chama a atenção é terem colocado fogo no ônibus ainda com os passageiros dentro. Isso não é comum, em outros casos semelhantes, sempre mandavam as pessoas saírem".  Conforme Amorim, o policiamento será reforçado na região. "Temos uma ação padronizada entre os municípios da Região Metropolitana", completou.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895