Golpista que se passava por personalidades políticas e jurídicas é preso em Guaíba
capa

Golpista que se passava por personalidades políticas e jurídicas é preso em Guaíba

Homem usava nomes falsos para possibilitar a contratação de televisão a cabo e solicitação de cartões de crédito

Por
Correio do Povo

Nem o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, foi poupado de ter o nome usado pelo golpista, de 53 anos

publicidade

A Polícia Civil prendeu em flagrante na manhã desta quarta-feira, na cidade de Guaíba, um estelionatário que se passava por personalidades políticas e jurídicas para possibilitar a contratação de televisão a cabo e solicitação de cartões de crédito visando efetuar compras no comércio. Nem o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, foi poupado de ter o nome usado pelo golpista de 53 anos. A ação com ordem judicial foi realizada pela Delegacia de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio e Serviços Delegados (DRCP) na rua João Batista Luzardo, na residência do criminoso.

Houve a apreensão de mercadorias e cartões, além de documentos falsificados. “Ele solicitava muitos contratos de televisão por assinatura. Uma das empresas estranhou e nos comunicou há três meses. Começamos a fazer um levantamento de todas as instalações desse serviço naquele endereço”, observou o delegado Luciano Peringer.

Os agentes das DRCP constataram então que as solicitações para instalação de televisão a cabo estavam em nome de personalidades políticas e jurídicas, além de prefeitos, entre outros. “Ele contratava um plano top e repassava para outros que pagavam um determinado valor”, detalhou. O estelionatário também “solicitava cartões de crédito em nomes dessas pessoas e comprava produtos para revender, como produtos de uso veterinário, suplementos alimentares e anabolizantes”. O delegado surpreendeu-se que ninguém desconfiou dos nomes em si usados pelo golpista.

“Ele tinha diversos cadernos com anotações de todos os dados dessas pessoas, como RG, CPF, filiação, data de nascimento... Queremos saber onde ele conseguiu essas informações”, adiantou o titular da DRCP. Todo o material apreendido será agora analisado e periciado. Quem beneficiou-se do esquema poderá ser também responsabilizado.