capa

Homem que matou ex-mulher será indicado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver

Acompanhado por advogado, suspeito se apresentou ontem

Por
Correio do Povo

publicidade

O ex-companheiro da mulher que foi morta e enterrada na residência dele, em Dom Pedrito, será indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. A informação é do delegado André de Matos Mendes que confirmou na manhã desta quinta-feira que o autor do feminicídio, de 49 anos, ficou calado no interrogatório, usando o direito de manifestar-se apenas em juízo.

O suspeito havia sido preso no final da tarde de quarta-feira quando apresentou-se com um advogado na delegacia. O inquérito deve ser concluído em dez dias. Algumas testemunhas ainda devem ser ouvidas e os laudos periciais da necropsia e material genético do corpo de Vera Lúcia Severo Lemos, 30 anos, são aguardados pela equipe de investigação. O delegado André de Matos Mendes antecipou que o exame no cadáver da vítima indicou uma lesão no tórax compatível com o golpe de canivete desferido pelo ex-companheiro, que teve a prisão preventiva decretada.

Moradora na zona rural de Dom Pedrito, Vera Lúcia Severo Lemos havia desaparecido em abril do ano passado dias depois do parto de uma criança. Na madrugada de quarta-feira, o corpo dela foi encontrado enterrado na residência do ex-companheiro dela no bairro Santa Terezinha. O cadáver em avançado estado de decomposição foi retirado de uma cova existente sob o quarto usado pela filha do suspeito. Na ocasião, o delegado André de Matos Mendes lembrou que existiam indícios de que o ex-companheiro e suposto pai do recém nascido seria o responsável pelo desaparecimento.

Já o Instituto-Geral de Perícias emitiu nota na qual contesta a informação policial de que os laudos periciais, realizados durante a investigação, foram entregues apenas no início deste ano. “Sobre a perícia realizada, informamos que o pedido foi feito ao IGP no dia 30 de agosto de 2018. O laudo ficou pronto no dia 9 de outubro de 2018, e foi acessado pela Polícia em 29 de Outubro do mesmo ano", esclareceu a instituição.