Instituto-Geral de Perícias apura causa da morte de dentista

Instituto-Geral de Perícias apura causa da morte de dentista

Exames e necropsia são realizados em Santa Maria e em Porto Alegre

Correio do Povo

Corpo foi localizado na tarde de quarta-feira em mata de difícil acesso, distante da BR 158

publicidade

O Instituto-Geral de Perícias deve esclarecer agora a causa da morte da dentista Bárbara Machado Padilha, 32 anos, cujo corpo foi encontrado na tarde desta quarta-feira em um matagal de difícil acesso, distante cerca de 300 metros da BR 158, em Santa Maria. Uma equipe do IGP esteve no local após ser acionada pela Polícia Civil que aguarda os laudos para inclusão no inquérito conduzido pelos delegados Sandro Meinerz e Adriano de Rossi após o desaparecimento da vítima no final da tarde de sábado passado em Tupanciretã, onde residia com o marido. A necropsia foi realizada no Posto Médico-Legal de Santa Maria. Em Porto Alegre, o Departamento de Perícias Laboratoriais do IGP realiza os exames complementares.

A localização do corpo ocorreu graças a um dos cães farejadores do 4º Batalhão de Bombeiros Militar. Os animais atuaram nas buscas desde a última segunda-feira. O trabalho mobilizou também a Polícia Civil e a Polícia Rodoviária. Um indicativo de que a vítima poderia encontrar-se na região foi a descoberta de pegadas de botas compatíveis com a usada pela dentista. O último rastreamento do sinal do telefone celular dela, verificado no início da manhã de domingo, também apontou para a área. O aparelho e a bolsa da dentista não foram encontrados.

Em nota oficial, a Polícia Civil observou que “o corpo não apresentava nenhum sinal de violência, apenas arranhões decorrentes da mata extremamente fechada e densa que ela atravessou para chegar até aquele local”. A instituição lembrou que foram mais de 80 horas de trabalho, que envolveu policiais civis da DP de Tupanciretã, DPHPP de Santa Maria, DEAM de Santa Maria, SIPAC da Delegacia Regional de Polícia, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Rodoviária Federal.

De acordo com a família da dentista, ela apresentou comportamento incomum nos últimos dias. Estava quieta e tinha parado de frequentar a academia de ginástica e o instituto de beleza. "Tentamos levá-la a um psicólogo, mas ela não aceitou", recordou o marido. O sepultamento dela ocorreu na manhã desta quinta-feira em Tupanciretã.

Luto oficial 

Um luto oficial de três dias foi decretado na cidade da vítima. “O Município de Tupanciretã, lamenta pela perda da Dra. Bárbara Padilha, e se solidariza com a família enlutada. Considerando o intenso envolvimento da comunidade no acompanhamento do caso, e também a proporção nacional que se formou sobre o desaparecimento de uma cidadã Tupanciretanense. A consternação é coletiva…O Município decretou três dias de luto oficial em sinal de pesar pelo falecimento da Dra. Bárbara Machado Padilha – Cirurgiã-Dentista”, postou a Prefeitura de Tupanciretã em nota oficial assinada pelo prefeito Carlos Augusto Brum de Souza.

Desaparecimento

Bárbara Machado Padilha foi vista pela última vez na noite de sábado no trevo do Castelinho, no entroncamento da ERS 509, BR 158 e BR 392, em Santa Maria. Ela permaneceu em torno de meia hora em uma loja de conveniência de um posto de combustível e saiu a pé com destino à avenida Osvaldo Cruz.

Imagens de uma câmera de monitoramento externa do estabelecimento no local mostram que a vítima estava sozinha ao deixar o local, após comprar chocolate e água. A dentista também havia sido vista atravessando uma ponte e depois uma câmera de segurança de um estabelecimento comercial flagrou-a caminhando sozinha, em local escuro, na direção de onde foi localizada.

Na tarde de sábado passado, a dentista deixou o escritório de advocacia do marido na área central de Tupanciretã. Ela não chegou na residência do casal. Em torno de duas horas depois, o marido foi para a casa e não a encontrou. A bolsa com documentos não foi levada junto. A porta estava aberta e a chave estava caída no solo. Bárbara havia contratado um motorista de aplicativo que trabalha com carro executivo para levá-la de Tupanciretã até Santa Maria.

 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895