Justiça aceita ação penal pública do Ministério Público contra autor de chacina em creche em SC

Justiça aceita ação penal pública do Ministério Público contra autor de chacina em creche em SC

Fabiano Kipper Mai, 18 anos, é réu agora no processo penal

Correio do Povo

Defesa do jovem tem dez dias para apresentar argumentos e arrolar testemunhas

publicidade

O Poder Judiciário aceitou a ação penal pública ajuizada pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) contra Fabiano Kipper Mai, 18 anos, autor da chacina cometida na creche Pró-Infância Aquarela, na cidade de Saudades, na região Oeste de SC. Agora, o jovem é réu no processo penal.

A defesa do acusado tem dez dias para apresentar argumentos e arrolar testemunhas. Após a data, inicia o prazo de cinco dias para que o MPSC se manifeste sobre a defesa apresentada. Com a prisão preventiva decretada, o jovem deve permanecer no presídio até a data do julgamento.

Fabiano Kipper Mai havia sido denunciado pelo MPSC por cinco homicídios consumados e 14 homicídios tentados, todos triplamente qualificados, devido ao ataque ocorrido na manhã do dia 4 deste mês. A denúncia foi oferecida pela Promotoria de Justiça de Pinhalzinho. O inquérito foi conduzido pela Polícia Civil.

Na ação penal pública encaminhada à Justiça, o MPSC pediu que o autor do crime seja julgado pelo Tribunal do Júri. A denúncia foi apresentada pelos promotores de Justiça Douglas Dellazari, responsável pelo caso, e Júlio Locatelli, designado para colaborar no inquérito.

As vítimas no ataque foram a professora Keli Adriane Aniecevski, 30 anos; a agente educadora Mirla Amanda Renner Costa, 20 anos; além dos bebês Sarah Luiza Mahle Sehn, de um ano e sete meses; Anna Bela Fernandes de Barros, de um ano e oito meses; e Murilo Massing, de um ano e nove meses. Todas foram golpeadas até a morte dentro da creche. Já um menino, de um ano e oito meses, sobreviveu apesar dos ferimentos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895