Lojas são interditadas por comércio de celulares sem procedência em Porto Alegre
capa

Lojas são interditadas por comércio de celulares sem procedência em Porto Alegre

Ação integrada apreendeu aparelhos oriundos de furtos e roubos que acontecem, segundo a Brigada Militar, na área central da capital

Por
Franceli Stefani

Através do MEI dos aparelhos, policiais fizeram a conferência da procedência de cada unidade que estava nos endereços fiscalizados

publicidade

Cerca de 100 policiais militares, mais o efetivo da Guarda Municipal da capital, fiscais da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), Corpo de Bombeiros Militar e cães do 1º Batalhão de Polícia de Choque, participaram de uma operação integrada com foco no combate ao roubo, furto e receptação de aparelhos celulares da região central, na tarde desta sexta-feira. A ofensiva, coordenada pelo comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Luciano Moritz Bueno, ocorreu na Rua Voluntários da Pátria e teve como foco levar a segurança para a população e a certeza de espaço livre, ou seja, sem o controle de algum grupo criminoso.

De acordo com o tenente-coronel, 51% dos roubos a pedestre que ocorrem na região central de Porto Alegre têm como foco principal os aparelhos celulares. “Estamos justamente combatendo e fiscalizando junto a espaços de conserto e técnicas, para identificar autores e minimizar o delito nas ruas. A responsabilidade da assistência é fazer conserto, mas não comprarem equipamentos oriundos de delitos”, destacou. Durante a fiscalização os policiais e fiscais da prefeitura encontraram celulares que não tiveram a confirmação legal de procedência. “Os proprietários foram conduzidos à Delegacia de Polícia pelo crime de receptação. Coube a SMDE fazer o fechamento e interdição do espaço”, disse. Os fiscais informaram que o procedimento ocorre devido ao “desvio de finalidade pelo funcionamento do alvará”, que permite o comércio de produtos lícitos. Os bombeiros também atuaram na fiscalização e conferência da documentação do Plano de Prevenção Contra Incêndios (PPCI).

O fechamento dos comércios, pelo menos três até as 15h, conforme o comandante, é importante para combater a venda de produtos oriundos da criminalidade. “Retirando de circulação esses pontos faz com que aquele delinquente que tentar comercializar o produto ilícito não encontre espaço. A nossa proposta é fazer diversas operações nesse segmento para minimizar esses espaços e fazer com que diminua o roubo a celular em Porto Alegre”, destacou. Na fase inicial, através de um trabalho de inteligência, diversos pontos foram mapeados. Bueno salientou que houve queda de 10% no furto e roubo de celulares no Centro, em relação ao mesmo período do ano passado.

Conforme o titular da Secretaria de Segurança de Porto Alegre, Rafão Oliveira, são os aparelhos que foram apreendidos na primeira fase da operação que vão parar na mão de criminosos. A integração, em sua visão, é fundamental para o combate desse tipo de delito. “Seguiremos com ações pontuais das forças do município junto com o Estado”, frisou. O comando do 9° BPM e da Guarda Municipal apostam na redução significativa desse tipo de crime nos próximos dias.

Os números da ofensiva ainda não foram divulgados pela Brigada Militar.