Mais um envolvido na morte de comissário é procurado pela Polícia Civil

Mais um envolvido na morte de comissário é procurado pela Polícia Civil

Foragido, o suspeito aparece entre o autor do crime e o policial civil momentos antes dos tiros dentro do bar em Jaboticaba

Correio do Povo

Os dois amigos desembarcam da caminhonete e entram no estabelecimento antes do crime

publicidade

A Polícia Civil começou as buscas nesta quarta-feira para prender mais um envolvido no assassinato do comissário Fabiano Ribeiro Menezes, 51 anos, baleado na noite do último domingo na cidade de Jaboticaba, ao tentar prender um indivíduo que matou um homem no interior de um bar restaurante.

Encarregado da investigação, o delegado Gustavo Fleury confirmou nesta manhã a decretação do pedido de prisão temporária do suspeito, de 44 anos, morador do município de Boa Vista das Missões. Os agentes realizam diligências na região, munidos de uma ordem judicial para capturar o foragido. “Qualquer informação sobre a sua localização deve ser repassada aos órgãos de segurança”, orientou.

“A prisão cautelar foi solicitada nos autos do inquérito policial que apura as circunstâncias do duplo homicídio”, enfatizou o delegado Gustavo Fleury. Segundo ele, o foragido estava com o autor do crime, de 30 anos, juntos durante a tarde de domingo. Ambos participaram da discussão ocorrida com a primeira vítima, um homem, de 53 anos, que seria morto de noite dentro do estabelecimento.

De acordo com o delegado Gustavo Fleury, o suspeito é quem aparece entre o autor dos disparos e o comissário nas imagens da câmera de monitoramento do bar, atrapalhando a tentativa de abordagem do agente que acabou sendo baleado e morto.

“Conforme provas testemunhais e imagens de câmeras de vigilância analisadas, entre 18h30min e 20h30min, os dois amigos se ausentaram do local. Em torno das 20h32min, instante em que o comissário Fabiano já se fazia presente no estabelecimento, imagens flagraram o exato momento em que a camionete GM S10 estaciona próximo ao bar”, relatou o delegado Gustavo Fleury. Os dois amigos desembarcam do veículo e entram no bar.

“O que ocorre na sequência é o desfecho trágico flagrado pelas imagens já amplamente divulgadas pelos veículos de comunicação”, acrescentou. “As imagens do lado externo flagraram as pessoas correndo pela rua logo após os disparos”, observou. 

O responsável pelas duas mortes está com prisão preventiva. Ele teve alta na tarde de terça-feira do Hospital de Caridade de Palmeira das Missões, sendo transferido ao presídio em Frederico Westphalen.

Tiros

Dentro do bar, o atirador aproxima-se de uma mesa e dispara na cabeça da primeira vítima, o homem de 53 anos, que estava sentado com os amigos. Em seguida, o comissário Fabiano Ribeiro Menezes, parado em um balcão, tenta conter o agressor e acaba baleado, inclusive quando já estava caído.

Mesmo ferido, o policial civil conseguiu atingir o atirador, que minutos mais tarde foi preso pelos policiais militares do 39º BPM. Houve pânico e correria entre funcionários e clientes do estabelecimento comercial no momento dos tiros.

O policial civil recebeu atendimento médico no Hospital Santa Terezinha de Jaboticaba, mas não resistiu devido aos graves ferimentos. Já o autor do crime foi levado, sob custódia, ao Hospital de Caridade de Palmeira das Missões. Ele frequentaria clube de tiro e teria antecedentes policiais por porte ilegal de arma, abandono de material, lesão corporal culposa na direção de veículo, ameaça e vias de fato.

Sepultamento

O corpo do comissário Fabiano Ribeiro Menezes foi sepultado na manhã de terça-feira, com honras fúnebres, salva de tiros e toque de silêncio, no Cemitério da Santa Casa de Misericórdia, em Porto Alegre. Houve ainda um sirenaço de viaturas em todas as delegacias gaúchas como homenagem e despedida.

Fabiano Ribeiro Menezes deixa esposa e dois filhos, de 18 e de nove anos. O agente estava com 28 anos de corporação. Ele ingressou na Polícia Civil em 1993, atuando na DP de Rodeio Bonito e depois na DP de Jaboticaba. O policial foi promovido ao cargo de comissário em 2018. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895