Militar é condenado a 19 anos de prisão por feminicídio em São Gabriel
capa

Militar é condenado a 19 anos de prisão por feminicídio em São Gabriel

Paula Estefani Schultz Lopes Lacerda foi atropelada e esfaqueada por ex-companheiro quando se deslocava para o trabalho

Por
Renato Oliveira

publicidade

Um militar de 34 anos foi condenado na noite de quarta-feira pela morte da ex-companheira Paula Estefani Schultz Lopes Lacerda, de 23 anos, atropelada e morta a facadas em uma rua do centro de São Gabriel, no dia 5 de março de 2018. Depois de 12 horas de duração, a condenação de 19 anos de prião em regime fechado foi anunciado pela juíza, Juliana Capiotti.

A magistrada concordou com a tese da acusação e condenou o réu por feminicídio, motivo torpe (que ofende a ética social), meio cruel e utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima. Ele foi detido após o crime e respondia por feminicídio. Desde o crime, estava preso no 9° Regimento de Cavalaria Blindado, em São Gabriel.

Segundo a Polícia Civil, o ataque ocorreu quando a jovem se dirigia para o serviço por volta das 7h45min. O militar seguiu por duas quadras e atropelou a vítima em cima da calçada. Na sequência, desceu do veículo e desferiu facadas em Paula, que morreu após ser encaminhada para um hospital. Segunda a investigação, o homem tinha constantes brigas com a ex-companheira, pois não aceitava o fim do relacionamento.


O Ministério Público pretende recorrer da decisão por entender que 19 anos de pena é pouco pelo crime cometido. A defesa também recorrerá por entender que provas incluídas nos autos permitem um questionamento recursal.