Motorista nega ataques contra ciclistas em interrogatório na Polícia Civil

Motorista nega ataques contra ciclistas em interrogatório na Polícia Civil

Condutor alegou que teve apenas uma discussão de trânsito na qual saiu do carro com uma chave de roda para se defender

Correio do Povo

Voyage, apreendido no dia 23 de setembro, já foi reconhecido por seis vítimas

publicidade

A Polícia Civil anunciou na manhã desta sexta-feira que o interrogatório realizado com o motorista do Volkswagen Voyage que perseguia e arremessava o veículo contra ciclistas, no trecho entre o Parque Marinha do Brasil e a Orla Moacyr Scliar, em Porto Alegre, já foi anexado ao inquérito que investiga o caso. O diretor do Grupamento de Operações Especiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), delegado Marco Antônio Duarte de Souza, disse à reportagem do Correio do Povo que seis vítimas também foram ouvidas ao longo desta semana e efetuaram o reconhecimento. “Elas reconheceram sem sombra de dúvidas o veículo apreendido como o carro utilizado nos ataques”, revelou.

Conforme o delegado Marco Antônio Duarte de Souza, o interrogado, de 44 anos, negou os fatos reconhecendo apenas um dos fatos. “Ele reconhece que teve uma discussão de trânsito e por conta desta discussão saiu do carro com uma chave de roda para se defender de um grupo de ciclistas”, observou. “Ele nega os demais fatos dizendo que poderia ter acontecido alguma discussão, mas que não recorda de nenhum fato envolvendo estes ataques”, acrescentou.

Veja Também

O diretor do Grupamento de Operações Especiais da CORE afirmou que o veículo está sendo encaminhado para o Instituto-Geral de Perícias, “respeitando solicitação da defesa”. O delegado Marco Antônio Duarte de Souza enfatizou, porém, os “indícios apontam de forma diversa embora os fatos tenham sido negados”. De acordo ele, todas as peças foram formalizadas e juntadas no inquérito nesta quinta-feira. As investigações têm prosseguimento.

No dia 23 de setembro passado, a equipe tática da CORE localizou e apreendeu o Voyage na frente da residência do suspeito no bairro Cavalhada, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão. O motorista não foi encontrado, mas se apresentou mais tarde com o advogado. A Justiça negou o pedido de prisão do condutor, mas suspendeu o direito de dirigir e determinou a cassação da Carteira Nacional de Habilitação do mesmo.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895