MPRJ atribui ao MPF inquérito de tráfico de arma de Ronnie Lessa

MPRJ atribui ao MPF inquérito de tráfico de arma de Ronnie Lessa

Segundo o Ministério Público do Rio, o crime praticado pelo ex-PM e a filha teria começado no exterior

R7

Ronnie é investigado pelo assassinato de Marielle e Anderson

publicidade

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) passou para o Ministério Público Federal (MPF) o inquérito policial que indiciou o ex-PM Ronnie Lessa e sua filha, Mohana Lessa, por tráfico internacional de armas. Segundo o MPRJ, o pedido foi feito porque o delito teve início, em tese, no exterior, com a infração prevista no Tratado Internacional incorporado pelo Brasil.

O inquérito, que começou após a apreensão de diversas peças de armas de fogo em um dos endereços ligados a Ronnie, foi encaminhado para a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme). As armas foram encontradas durante as investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Eles morreram em 2018.

Além disso, o MP relatou que durante as diligências sobre as mortes foram identificados um complexo esquema de importação ilegal de peças, acessórios e outros componentes de armamentos de grosso calibre chefiado pelo ex-policial.

Os referidos materiais eram adquiridos no exterior, alguns enviados por ele para a residência de Mohana, nos Estados Unidos, e, posteriormente, remetidos ao Brasil. De acordo com as investigações, Ronnie adquiria os produtos em sites estrangeiros sem possuir autorização do Comando do Exército, autoridade competente para liberar a importação ou exportação de armas e acessórios.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895