MPRS deflagra operação na Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba

MPRS deflagra operação na Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba

Servidor penitenciário é investigado por fornecer telefones celulares para detentas ligadas a facções criminosas

Correio do Povo

Aparelhos telefônicos, carregadores, drogas e documentos foram recolhidos

publicidade

O Ministério Público do Rio Grande do Sul deflagrou na manhã desta terça-feira a operação Vis a Vis na Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba. Uma investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco)-Núcleo Região Metropolitana e Litoral do MPRS apontou a suspeita de que um servidor penitenciário comandaria um esquema de negociação e fornecimento de telefones celulares para detentas que exercem posição de liderança na casa prisional e que são ligadas as facções criminosas.

“Além de propiciar vantagens a elas, o servidor também teria feito transferências internas de modo que algumas apenadas protegidas por ele pudessem dominar determinadas galerias”, informou a instituição em nota oficial.

O cumprimento de mandados judiciais de busca e apreensão na casa prisional teve apoio da Corregedoria-Geral e Inteligência da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). Houve a apreensão de telefones celulares, carregadores, drogas e documentos que possam ter relação com as condutas delituosas supostamente praticadas pelo investigado.   


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895