MPRS denuncia autores da morte de PM em Gravataí

MPRS denuncia autores da morte de PM em Gravataí

Latrocínio ocorreu na noite de 17 de março deste ano no bairro Morada do Vale II

Correio do Povo

Investigações e prisões foram conduzidas pela 2ª DP de Gravataí na época

publicidade

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) denunciou os dois autores da morte do soldado Cristian da Rosa Oliveira, 36 anos, do 26º BPM de Cachoeirinha, ocorrida na noite de 17 de março deste ano no bairro Morada do Vale II, em Gravataí. Além de latrocínio, a promotora de Justiça Aline Baldissera acusou a dupla de jovens, ambos de 19 anos, por corrupção de menor. Um deles foi denunciado ainda por incêndio criminoso e fraude processual.

Conforme a denúncia do MPRS, os dois acusados e um adolescente, de 17 anos, dirigiram-se até a vítima e anunciaram o assalto. A vítima foi baleada e morta na sequência. No dia seguinte, um deles obteve um veículo de mesma marca e modelo do utilizado no latrocínio. Ele colocou uma placa falsa, com a mesma numeração da utilizada no crime da véspera, e o incendiou em via pública para despistar a investigação.

O policial militar Cristian da Rosa Oliveira estava em um Chevrolet Onix na rua Água Turquesa. Os três assaltantes que atacaram o brigadiano. Um deles portava um revólver calibre 32. Após o brigadiano ser executado, a pistola calibre 40 dele foi levada, mas o veículo da vítima permaneceu no local. Um dos assaltantes ficou ferido ao ser atingido pelos tiros da vítima que conseguiu efetuar o revide. A fuga do trio foi em um Volkswagen Gol. 

As investigações e prisões dos envolvidos no crime foram conduzidas pela equipe da 2ª DP de Gravataí, sob comando do delegado Guilherme Calderipe.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895